sexta-feira, março 1

A vida, essa coisa esquisita.

Eu não tenho uma vida de merda, nem de longe, tenho uma vida fora do planejado.
Hoje me trocaram de lugar no trabalho, tipo assim, me trocaram de lugar e me colocaram pertinho do chefe, como fui a ÚLTIMA lugar em vendas (nem quero dizer o que isso implica na minha cabeça, mas é o fundo total do poço chegando).
Aliás ser o último lugar mostra bem o meu sentimento quanto a mim, a última, o resto. Mas como já foi muito diferente disso vamos nos apegar ao passado e mostrar que ainda podemos, o que? Não faço ideia.
Niqui me trocam de lugar, tipo um móvel que a gente passa sempre e dá canelada, incomoda, e a gente troca de lugar para não tropeçar nele.
A bem verdade é que a empresa não sabe o que fazer comigo, pois eu simplesmente não me enquadro. É impossível que tanto talento e vontade de trabalhar tenha ficado no Ridijaneiro (não ficou) ou que eu não me esforce, porra eu me esforço, meu trabalho é meu último elo a sanidade, é o que sobrou oras, se pudesse passaria 24 horas por dia trabalhando, mas a vontade de dormir ininterruptamente me faz querer sair correndo para casa.
Aí me trocaram de lugar, minha mesa, meu monitor, tudo aquilo que eu achava "seguro", começo a perceber que sentir segurança é um erro, um prenúncio de que algo vai dar errado, mas voltando, eu troquei de lugar né? Aí me perguntaram: "Você se importa??"
Filho, eu tô num PAÍS diferente, longe de meus parentes, dura, cheia de dívidas, coisas para resolver, e você acha que eu me importo com isso? Me importo não. Querem me colocar para trabalhar no banheiro? Opa, estamos aí.

Mas me incomodou, me incomodou muito, me incomodou a ponto de eu vir chorando pra casa.
Cheguei, sentei, tomei um vinho, fumei um cigarro e antes que entrasse no espiral de querer saber o porque de tantas coisas, resolvi me acalmar para ir dormir. Viver só uma horinha por dia, porque até pensar no dia todo me dá angústia. Daqui uns dias isso tudo é história, mas hoje, foi foda.




Nenhum comentário: