sábado, abril 13

Animem-se

Hoje nasce um lindíssimo dia ensolarado  super nublado e chuvoso e como não posso comer algumas coisas porque não quero curtir um final de semana com dor de cabeça, esse final de semana sem chocolate e pizza terá que ser criativo afinal não tenho MUITO dinheiro.

Enquanto pensava se tomava um banho ou voltava para a cama tomei a decisão de jogar meus remédios  fortes para dormir fora - aqueles sossega leão porradão na cabeça instantânea, não os clonazepanzinho da calmaria - que esses precisarei para viagens de avião-caso viaje de avião, antes que tivesse tempo para pensar virei o vidrinho dentro do vaso sanitário, não foi uma cena épica dos viciados (não sou viciada em remédio para dormir - ainda) em filmes que super decididos em mudar de vida fazem isso, foi só para me livrar da tentação de dormir um final de semana inteiro, como não tenho dinheiro para comprá-los novamente essa opção do final de semana suspensa da realidade ficou nula, vamos deixar meu corpo se situar no mundo de novo, se quiser dormir com certeza o sono aparecerá. É legal falar assim porque até parece que vou dormir assim deitei na cama pá, mas acreditemos.

Vou arrumar coisas para fazer, faxina, ler, mexer na internet qualquer coisa, menos dormir.

Tinha que ir na rua comprar algumas coisas e quando lembrei dos meus parcos dinheirinhos deu uma desanimada a ponto de sentar no sofá e me perguntar "como as coisas chegaram até aqui?" mas antes do cão da tristeza se apossar me respondi que sabia como tinha chegado ali, desperdiçando dinheiro com bobagens, jogando comida fora, comprando coisas que não tem serventia, fazendo estoque de cosméticos caros, não planejando nada da minha vida financeira, opa isso eu sei, mas é sempre aquele soco no estômago se ver ser dinheiro quase algum, fiquei pensando no que precisava enquanto minha cabeça gritava que PRECISAVA DE MUITAS COISAS!!!!  Mas com a mesma calma de quem fala com uma criança de cinco anos, me expliquei que não precisava de tantas coisas assim, o que é que não poderia ficar sem de jeito algum? Ai porra minha eu que briga comigo está brigando comigo!!!! Me trazendo para a porra da realidade. Peguei um papel (sempre penso melhor escrevendo) e comecei a PENSAR meu cigarro acabou, minha despensa está cheia de comidas que estão rolando (e que infelizmente não vou comer agora porque se estão rolando é porque não gosto, tipo biscoito água e sal, uma lata de ervilha, macarrão e essas coisas que sempre fazem aniversário na despensa) então o que eu precisava era: cigarro comida e.. cloro para fazer faxina, e só. Como gastar menos aproveitando tudo o que já tem em casa? Bom, eu gosto de macarrão com tomate e tomate está caro (aliás não aguento mais piada com tomate que saco), mas taí um jeito de comer o macarrão o queijo que já tem e dois tomates pra mim tá ótimo, misturado no molho, maravilha.

E vou fazer uma sopa para jantar durante a semana, adoro sopa, compro uns legumes e pá tá ótimo! Não gente, eu não estou passando fome, só estou precisando ser criativa, para não desperdiçar mais do meu dinheiro! Tem iogurte na geladeira, tem um monte de ovo, tem farinha pra fazer bolo, tem leite no armário, tem pão de forma, tem uma pá de coisas.

Como vou de um extremo ao outro já comecei a me revoltar e falar "dilui xampu da L´oreal no prato e come sua jumenta" mas antes que enveredasse por esse campo que é uma merda - a área da culpa só faço merda sou uma miserável que só pensa em supérfluo, que não é nada bom, me estiquei ao máximo para pensar equilibradamente, quando fui pegar o dinheiro na gavetinha estavam lá o boleto do cartão e uma folinha escrita: telefone, as duas contas que não foram pagas ainda e antes de hiperventilar e falei "vou dar um jeito, se acalmem que vocês serão pagas!" por um momento pensei que o dinheiro das férias salvaria minhas contas e meu apartamento, mas não tem condições de eu tirar férias e não ver minha família, gente eu vivo SOZINHA FOREVER ALONE como que vou tirar 30 dias de férias e não ver minha família?! E tem o dinheiro da passagem até o Rio, dinheiro de passagem de novo do Rio para MP, e putaquepariu não pense nisso agora Cristal, deixe para passar por essa ponte quando chegar nela e só!!!!!

Pensei só que estou disposta a passar por isso de forma menos esquizofrênica possível e que está sendo ótimo para amadurecer minha vida financeira.

Sinto muito falta de não ter com quem discutir essas coisas, por isso que caí naquela armadilha lá do trabalho de falar coisas que não deveria para quem não dava a mínima, por carência. Conversar sobre isso com a minha família é ouvir "você vai sair dessa, você é forte" ou a versão resumida do livro "você faz suas escolhas" ou "por favor não me mate de preocupação, você está passando fome?" e nenhuma das opções me agrada, prefiro ficar na minha e escrever aqui no blog.

Apesar de saber que tudo isso é uma fase e que a ruim mesmo já passou aquela que eu queria me matar - não no sentido literal, mas quase, é foda passar isso sozinha, é foda foda foda e foda. Ainda mais quando lembro que o script não era esse, mas também não vou pelo lado das lembranças e promessas não cumpridas. Aliás nada que já fiz na minha vida se assemelha ao que tenho passado, então nenhuma experiência passada me ajudará agora, e eu cago de medo de fazer coisas novas, quase do tipo pânico mesmo, ter que pensar em novas soluções, e isso é ainda mais engraçado porque já fiz tanta coisa no impulso sem dar a mínima, por isso que minha existência é dúbia pra caralho, porque tenho que ser a cagona mais corajosa do mundo! E se vocês acham que acordo super animada "vou sair dessa de qualquer jeito" é um puta esforço hercúleo lembrar que: oi? Não tem ninguém Cristal, se você não fizer ninguém vai fazer por você, lembra?

Aí tenho que estampar o sorriso teatral e vamos que vamos...











2 comentários:

Nádia Galdino disse...

Também NÃO AGUENTO MAIS piadas com tomate hahaha! Cara, eu gosto tanto de macarrão, mas TANTO (pra ser bem sincera, é uma das coisas que mais gosto na vida) que como até sem nada mesmo, só refogado na manteiga, FE-LIZ! Com ovo e ervilha então, faço um banquete - além de que É uma refeição completa, com carboidrato, proteína e leguminosa e tal.

No mais, acho que a gente só se atenta para essas coisas quando passa por um perrengue desses mesmo. Acho que já falei da wishlist que faço com as coisas que quero antes de sair entrando na loja e passando o cartão. Digo pra mim mesma: só quando você precisar, puder ou merecer e coisas do tipo. Também fico brigando comigo mesma hehe... Enfim, não sei se você é muito apegada às suas coisas, mas eu e minha irmã conseguimos uma graninha vendendo coisas boas que a gente não usava para um brechó... às vezes levo pro meu trabalho também: trabalho com um monte de mulher, se não serve nelas, serve na mãe, na filha, na sobrinha... ou então decido que vou usar o que tenho ao invés de sair comprando tudo novo: tenho três calças jeans nunca usadas de 2010 que pararam de servir assim que engordei, e me proibi de comprar um jeans novo até entrar nesses de novo - atualmente só dois me servem, então uso muito vestido, que vario com meus 70 pares de sapato, que eu tô proibida de comprar também...

E assim vamos, consegui quitar os empréstimos que eu tinha ao invés de fazer novos e finamente saí do vermelho o/


:*

Alexandre disse...

Minha vida profissional corre toda no improviso, vou aonde a maré me levar. Logo no meu primeiro emprego não fui efetivado então, passei a olhar muito por mim e tirar proveito de todas as oportunidades que aparecem. Essa da trabalhar que nem um mouro esperando que alguém esteja percebendo não rola.

Já meus relacionamentos, hehe, é muito tempo planejando só para assistir tudo acabar num piscar de olhos. Sofrimento do cacete mas todo sonho tem seu preço.