terça-feira, abril 9

Eu

Desde que meu novo eu, que na verdade é o meu velho de sempre eu, não abaixo a cabeça para nada.

A porrada vem, e antes que me pegue correndo para debaixo da minhas cobertas me pergunto QUE MERDA DE FRANGUINHA EU SOU? Em dois dias de trabalho já deu para perceber, um que recolhi meu sorriso radiante gratuito e retirei o semblante coitada de mim.

Coloquei um sapato bacana que é só um sapato velho maneiro que mandei pintar de preto, colei minha cara garfield blasé nada me abala, porque caí no erro da solidão que é se abrir com o primeiro ouvido que aparece então mais de uma "amiga" do trabalho sabe dos meus perrengues particulares, o que gera nas minhas costas uma fofoquinha com meu nome tipo "largou tudo no Rio e está toda cagada" e coisas do gênero.

Me retirei da patota e foi impressionante que em um dia e meio já vieram me perguntar "está acontecendo alguma coisa?" porque saí mais cedo para ir ao médico ontem, e estava em treinamento hoje de manhã, respondi com a cara mais cínica que "fui ao psiquiatra pegar meus remédios para minha doideira que estavam acabando" e segui corredor adiante.

Lembrei do teatro das vendas, pensei que sou um imã de vender, que fazem fila para comprar e que meu e-mail está tão cheio de pedidos que não dou conta de liberar, e fui tão encantadora com meus clientes que eles nem sabem o que estão comprando, sabem que tem que comprar COMIGO, e é isso que me importa.

Repeti várias vezes que eu antigo emprego já se foi e que bom que fiz amizades lá, mas que aqui não é lá, que tenho que vender, ganhar dinheiro e ir pra minha casa satisfeita com meu trabalho, não estou mais no colégio que precisam me aceitar em lugar nenhum. Peguei minhas vendas, coisas a resolver e fiz com aquilo parecesse uma vírgula, e fiz meu olhar é um prazer para VOCÊ ter o privilégio de trabalhar comigo.

Nada disso é real, é uma capa que se coloca e se retira quando vou trabalhar, se soubessem o tamanho da minha insegurança ririam da minha cara, mas é isso que não posso deixar verem, vida corporativa é essa merda, e levarei tempo para consertar os erros das minhas próprias carências, aceitando migalhas querendo acreditar que era amizade quando era só assunto para alimentar o ego alheio.

Sou uma ótima profissional, meus números vão bem obrigada e só tendem a melhorar, porque além de vender ainda possuo carisma para encantar, teatro para mentir e um bom controle dos nervos para manter no rosto o sorriso quando me mandam tomar no cu, se bobear com o mesmo sorriso falo que irei assim que tiver tempo.

Porque o mundo pode cair, mas minha confiança, rá, ninguém abala. E se eu repetir isso todos os dias, serei melhor do que em qualquer época da minha vida.




5 comentários:

ç disse...

O pessoal do seu trabalho sabe seus perrengues? Que merda, hem? Se bem que aqui todo mundo sabe da sua vida também....kkkkkkkkkk então foda-se! rs

Alexandre disse...

No meu último emprego eu era simplesmente mau e me dava muito bem, afinal era pago para cobrar resultados e funcionava.
Tentei mudar isso quando troquei de emprego, só para quebrar a cara completamente. Infelizmente se você é bonzinho os outros aproveitam para levar vantagem em cima. Tive que cortar relações com essas pessoas, não tem jeito. Ainda não descobri a fórmula de ser legal com todos e cobrar resultados. Só consigo ser bem sucedido no que faço.Não se pode ter tudo infelizmente. Fodz.

Vânia disse...

Tu nao aprende ne doida... TODO MUNDO NAO E SEU AMIGO... E na maioria das vezes vai usar o que sabe sobre voce pra te usar ou magoar...Mas o importante e que a sua garra voltou!!!! Torco por voce... Nao sucumba jamais!!! Bjusssss

Cristal - a pedra que fala. disse...

Ç: É mas fica aquela coisa meio "coitada dela maluca" e sinceramente não sei de onde isso iria me levar.
Aqui eu falo falo, ei tô toda cagada e explico e tals, como não há tempo plara explicações na vida real fica aquela coisa meio "doidinha ela né?" e já tô velha pra isso rsrsrs,

Aexandre: A parada é essa mesmo, o que me entristece é que não tenho nenhum cargo de chefia, nada que precise mandar em alguém, eu sou só uma vendedora e gostaria de ter pelo menos uma amizade no trabalho, mas oi? Não vou pagar minha carreira com essa bobajada de amizade.

Vania: Vc já viu essa história ante, e a ao vivo né? Tudo muda e nada muda kkkkkkkkkkkkkkkkk.

Bjux povo

Smart Girl disse...

Complicada essa coisa de amizade no trabalho. Já tive, num passado distante, em outro trabalho. Nesse atual, até tentei, mas me arrependi, porque foi exatamente isso que você falou: de repente, descobri que o que eu dizia era usado contra mim, nas minhas costas. Então, infelizmente, aprendi a separar amigos de colegas de trabalho. Chato, porque é onde passamos a maior parte do dia e seria legal estarmos em meio a pessoas que nos querem bem, que têm uma afinidade legal conosco. Mas, enfim, ninguém disse que o mundo seria como queremos.
Beijo