sexta-feira, janeiro 31

Texto Adaptado - É meu, adaptado de mim.

Esses dias estava pensando sobre porque eu não sinto solidão mais, me acostumei.
Me acostumei a não ter projetos com ninguém além de mim, me acostumei a parar de ter expectativas, loucas ilusões que não se tornaram reais, me acostumei a saber que todo mundo precisa mais de algo que eu...
Me senti tão sozinha em meus problemas durante um tempo que acabei me acostumando também a mentir sobre o tamanho deles, como me sinto frustrada o tempo inteiro e como minha existência está longe do que eu gostaria.
Maquiei tanto as coisas, tanto, que comecei a acreditar na maquiagem e a aceitar as desculpas que me dão sobre “é, é assim mesmo...”
Fui me acostumando... até que um dia eu acordei e não queria saber de ninguém mais. Simplesmente me desinteressei, porque é tanto eu preciso que né?

Longe da minha família, com uma casa nas costas, com gente me julgando, gente querendo me ensinar o que não faz, é mãe, avó, parente, é gente falando “volta pro Rio” estou cansada de tanto pitaco, então... só falo a mesma coisa, do meu trabalho, sei que ninguém percebeu até agora porque sei do desinteresse, então se eu falar sobre a lua dará no mesmo, o único lugar que convivo com mais pessoas é no trabalho e é um inferno. Em dois anos não consegui fazer sequer uma amizade, porque não quis, me fechei em uma bola tão apertada que não me interessa que ninguém entre nela.
E quero que qualquer pessoa que esteja dentro saia e me deixe viver sozinha ao invés de viver de esperança. Para ser infeliz ou feliz basta a mim mesma.

Um comentário:

Shallunna disse...

Gostei dos teus textos.Me faltava palavras para descrever o sinto tb...