segunda-feira, fevereiro 3

Parando de tacar pedra nos outros.

Se meu emprego, namoro, família tão dando pau, a culpa não é realmente minha, e não é meu direito ficar reclamando ou tacando pedra em todo mundo porque eu fiz minhas escolhas.
Tenho um problema sério de aceitação, não aceito nada, por isso luto igual doida pelas coisas que só precisam ser aceitadas. Fazer as coisas que estão a meu alcance. Só.

Eu não quero mais lutar contra nada, então pego o que posso fazer por mim e faço, simples pra caramba. Cansei de conjecturar se morasse em Marte as coisas seriam de outra forma, não seriam, já disse o messias da igreja messiânica que enquanto a gente não cura algo, carrega isso para qualquer lugar que vamos, então não vou discutir ida, volta ou permanência, é tudo mutante demais para conjecturas e expectativas, vou fazer meu melhor hoje, o que envolve minha vida hoje, se perder emprego, acho outro, aqui ou em outro lugar, se minha casa acabar é achar outro lugar para morar, se minha mãe morrer, se Marcos acabar, tudo é transitório e eu quis a permanência. Talvez por medo ou querer demais.

Não planejei muita coisa na vida e foi um erro planejar demais depois de ter aprendido, disse que vinha para MG e em 20 dias tinha tudo ajeitado e já morava aqui, se foi bom ou ruim, foi ótimo, jamais teria aprendido tanta coisa na minha zona de conforto, muita coisa doeu, mas doeu mais reconhecer que estava vendo tudo da forma errada. Ninguém mentiu pra mim, além de mim, ninguém me deu qualquer garantia, eu que quis garantir, fui eu quem fiz promessas, fui eu que assumi, foi eu quem disse para jogar nas minhas contas, ninguém mais, além da minha própria enganação, ninguém me enganou. Então não é justo que jogue esse peso para outrem, voltei a viver do jeito que quero, com as minhas impulsões e sem dar nenhuma satisfação para ninguém, não revelo meus planos, minhas vontades ou sonhos, pois se tornaram meus, e não de domínio público.

Se fiz errado ou certo, nem entro nessa questão, se preciso disso ou daquilo isso é problema meu e de mais ninguém, ao mesmo tempo que quis dividir, hoje não o quero mais. Tudo na verdade é bastante simples.





Nenhum comentário: