terça-feira, março 4

Depressão não é uma fase

Me lembro quando achava que estar deprimida era uma fase que passaria logo, e não passou, melhorou, desmelhorou, caí e levantei, pensamento positivo, meditação um saco. Se tivesse quebrado um braço provavelmente já estaria curada.

Não podem me dizer que não levo a sério o fato de estar doente porque é uma mentira e o pior realmente pra mim não são as crises de euforia, tristeza ou revolta, pra mim a pior parte é sempre o a apatia, a vontade de não querer fazer, ser ou ter. A perfeita sabedoria que nada é interessante o bastante.

Nos últimos quatro dias não liguei a TV, não falei com ninguém, não atendi o telefone quando me ligaram, fui a rua uma única vez e meu interfone tocou com um cara da testemunha de Jeová. Mas não estou triste, porque não sinto tristeza, não chorei uma única vez, nem me senti preterida pelo mundo, quando chego nesse ponto é quando começo a estranhar, é daí que não sai mais nada.

Não por ser ou não ser carnaval, e sim por não interessar qual parte do ano é e ao que ela se destina. Poderia ter feito outras escolhas, poderia ter viajado, mas não houve interesse.
Não perambulo pela casa como se houvesse algo a ser feito, tudo já foi feito e limpo, não vejo filmes, apenas leio meus livros, estudo um pouco, me distraio na internet, mas se você me desse um quebra cabeças daria no mesmo.

Não quero que as pessoas me entendam, já passei dessa fase, tão pouco quero que me ajudem, porque não há ajuda, não quero ouvir ou ler coisas *(se você ainda morasse no Rio...) porque essas coisas é uma das poucas que me magoam. E já ouvi isso demais.

Meu pior pensamento não é terminar com a minha vida pela indiferença, meu medo é que essa fase dure muito muito, já vi fases que duram anos, já vi fases que duraram toda a minha vida. De repente me vejo gasta pelas mesmas crises que quis curar e evitar. Em um poço que jamais tem fundo, mas não há dor, há somente o vazio.

Não quero provar o quanto sou bacana quando enfrento o dia já perdido, para trabalhar, para fazer as coisas (qualquer coisa) não quero ser parabenizada por enfrentar coisas por não me deixar cair, mesmo quando já estou caída.

Minha única e verdadeira vontade é deitar ao sol, ficar lá quieta, parada.



Nenhum comentário: