segunda-feira, março 31

Férias, merecidas

Hoje entrei de férias.
Meu dia parecia que nunca ia acabar. Minha avó fazendo cateterismo, eu fazendo malabarismo, querendo que tudo desse certo e pensando em mil coisas, passagens? Dinheiro, aluguel e a cabeça pensando pensando, preocupando entrando em parafuso. Transfere dinheiro, tentar deixar tudo em dia, uma exaustão sem nome.

Quando deu 18 horas respirei a primeira vez quando chegou no meio do caminho pra minha casa eu desabei. Chorei por poder ver minha família com meus olhos, ver que todo mundo está vivo e bem, chorei saudade, minhas preocupações, minhas culpas e minhas vergonhas, quase me parabenizei ter chegado até o final do dia sem ter sido cuspida da empresa. Sem ter sido cuspida da vida. Tudo doia, o cansaço foi tão grande que pensei "amanhã vejo minhas passagens" quero ir pra minha casa, meu refúgio.

Cheguei em casa, nem pensei em comida, só pensei em consertar a internet, ver qualquer coisa me distrair, não pensar, não pensar no que tenho que ajeitar, o que me espera. Acho que admiti depois de muitos dias que estava e estou sim, muito preocupada, quero ver minha mãe, ser mimada pela minha avó, ver minha irmã, meus amigos, minha segunda mãe, minha sobrinha. É impressionante o quanto compartimento as coisas para muito depois descobrir que algo me preocupa e me dói.

Vou ajeitar minha casa e curtir minha família.




Um comentário:

Andréa disse...

Só tenho uma coisa pra te dizer: "Que de-lí-cia!!!!". Curta muito sua família, alimente a alma.
Beijo.
P.S.: Não sabia que você já tinha uma sobrinha. Que máximo!!!!