quinta-feira, maio 1

Ninguém escreve mais.

Acqua (não vou colocar o link pois o blog está desatualizado desde 2009) cantou a pedra nos coments - ninguém escreve mais, todo mundo vende ou ensina alguma coisa.

Fato.

Fiquei matutando nisso dois séculos (de ontem pra hoje) e posso afirmar, é um fato.

Não sigo mais blogs, pois desde o finado google reader não consegui uma ferramenta eficaz (se alguém quiser indicar algo, diga aí) para agupar meus links, então zapeio um pouco entre meus favoritos e sempre vejo a mesma coisa, gente que chupa fotos do pinterest, ensinam a fazer algo banal como passar um baton corretamente (o que pode ser isso pai amado?) ou a fazer um miojo, ou vendem, vendem de tudo. Até aí tudo ok, a internet tá aí pra isso, é um mercado, compra e vende quem quer, o que me aporrinha é o tanto de ESPECIALISTAS em tudo, maquiagem, artesanato, dietas (se eu ler panqueca de whey novamente vou parar de achar que existe esperança) - aliás esse mundo fitness é bem chatinho, só gosto de duas.

Fico me sentindo muito out, meu celular é um Nokia antigo, nem acessa a internet, não tenho muitos amigos no face e nem tenho instagram, não sigo ninguém em lugar nenhum, não tenho watsapp (esse é uma mão na roda para algumas coisas, mas meu celular não comporta tamanha tecnologia) e me acho um fracasso tem horas, afinal não posso postar minha incrível vida em fotos de macarrão com farofa e quanto sou baladeira, antenada e ando na moda, sqn.

O problema de escrever ou não é o tipo de leitor que se quer chegar, elogios todo mundo gosta, mas não preciso efetivamente que alguém fique me babando (com fotos e programas certos todo mundo é lindo, nem que seja no decote) estou no mesmo relacionamento amoroso a anos, não acho muito válido fotos cocotas fora de contexto, uma coisa é você de biquini em uma praia linda postando suas férias, outra é você de  biquini no espelho do seu quarto. Quer mostrar que está em forma, parabenizo, acho legal mesmo, mas sem forçar.

Algumas blogueiras invejo, pelas viagens, pela vida que parecem levar, claro que gostaria de um pouco de glamour na minha existência, mas  como sei que minha vida em si não é  muito glamourosa, prefiro falar a verdade do que forjar ou roubar fotos alheias. Isso é chato. E é o que a gente mais vê, por isso cansa.

Acho que quando a gente vai ficando mais velha ou mais madura (não me acho nada madura) fica menos impressionável, ou mais analítica, então quando vejo muita propaganda, muita festa para determinado produto, ligo o alerta.

Voltei a escrever porque quero fazer isso novamente, escrever efetivamente e... só exercitando para retornar, estive muito tempo sendo leitora, mais um tempo curtindo uma depressão feroz (hoje consigo perceber que fase ruim, muito ruim passei) e agora quero voltar a colocar em palavras um pouco dos meus achismos.

Tem horas que é deveras estranho pensar em algo para escrever, mas aos poucos vou retornando.




5 comentários:

Duquesa Diaba disse...

Uso o Feedly (se você usa o Chrome, dá para usar afixado como app - link: https://chrome.google.com/webstore/detail/feedly/ndhinffkekpekljifjkkkkkhopnjodja). Ele tem sido a razão do meu viver. Sem meus feeds não sou gente.

Lívia disse...

também uso o feedly. amor verdadeiro, amor eterno.

Lis Santana disse...

E a felicidade de achar 2 cigarros e 1 café depois de tempos sem acompanhar o blog? Lembrei logo porque ficava always amanando os posts da senhorita! Voltei a frequentar...

Cristal disse...

Duquesa e Livia, comecei a usar e estou achando muito prático, realmente fácil, não dou uma semana para estar viciada, adorei a dica, obrigada gente!!!!

Lis: Lis, seja muito bem vinda de volta!!!!

Abçs

Milena F. disse...

Ia falar do feedly mas zzzzzzzzz