terça-feira, dezembro 11

Sol, praia... e uma pele esturricada.




Eu sempre acredito que eu sou imune a qualquer coisa, pois como diz um amigo: sou imortal... porque nunca morri.

Fui para a praia após longos meses cultivando uma palidez linda e uma “amarelês”de escritório, sempre marcando praia e chovendo (claro a pobreza e Murphy sempre me seguindo) niqui sábado eu rumei para a praia... já comecei pegando o ônibus que fazia o trajeto mais longo possível... (não moro na zona sul quéridos)... resumindo a tragédia, fui para a água confraternizar com minhas amigas-irmãs baleias, conversando e matando as saudades... Filtro solar??? Pra que isso??? Não segui a dica de Pedro Bial... fiquei lá boiando quinenque merda velha e a hora passando, depois na maior inocência (leia-se idiotice) eu afundo meus dois pés na areia e fico de costas para o sol para fumar um cigarro e pegar um bronze.... rá rá rá...
Cá estou eu agora, toda ardida, fudida (só pra rimar), vermelha, trocando de pele... e sendo alvo de piadas toscas.... e no sábado eu me achava a rainha do bronzeado... o supra-sumo da morenice brejeira....


Alegria de pobre sempre dura pouco... eu devia aprender...

3 comentários:

Tititi disse...

Pelo menos vc está com um colorido diferente! Eu continuo na cor branco-bunda, conhece?

Cafeína disse...

a cor mais bonita que eu pego é "vinho do porto". Portanto, fujo de sol mesmo, já passei por situações péééééssimas...
bjo 'xará' rs

Iza In The Sky Without Diamonds disse...

Menina, e eu que todo ano (porque mineiro é assim, né? Vai pra praia uma vez por ano pra "salgar" o corpo e olhe lá!) fico vermelha e depois descasco? Horrivel! Nunca consegui ficar bronzeada...