quarta-feira, novembro 6

Dos encontros....

...

Estava eu em uma cidade mineira de boas, quando ouvi dois homens conversando sobre política, estava meio perdida na rua e me meti na conversa dos dois, agora somos amigos de infância.
Abaixo pedaços da conversa, totalmente desconexas.


  • Meu Deus, esses dois vão gastar uma baba de estacionamento, vou ficar culpada durante anos…
  • Só se pode expulsar demônios em latim. UHAHUAHUUHAHUHAUHSUHAHUSHUH MORTA!
  • A paixão do Di pela pedagogia, como defende o ensino e os alunos.
  • Eu pago o brigadeiro! kkkkkkkkkkkkkkkk
  • A defesa de quem trabalha para pagar estudo.
  • A dureza que tratamos os nossos por nós… é foda, é solitário.
  • Santa Cruz, Penha e Caxias....
  • A vivência e a luta gay, o lixo na porta, a pixação no muro, E O TRIBUNAL ECLESIÁSTICO!
  • O esclarecimento sobre as pessoas acharem que pedofilia e gayzismo são a invisibilidade do bissexualismo (o B é de biscate).
  • Vocês enfrentando a religião, com a cara e a coragem.
  • Thi tem um sorriso matador, o som da risada do Diego é de rir junto, nós falando alto, poderíamos estar em qualquer lugar do planeta.
  • Dinheiro aqui em Minas rende mais, mas tem o preconceito, vcs sempre ficaram meio “esqusitoes” mas se conseguirem se manter na bolha de vcs, aposto que deve ter viado nesse estado.
  • Que vida fudida vocês tiveram ein, a minha tb foi, engraçado que isso nos torna forte, mas nos torna cansados, parece que já vivemos muitas vidas, muitos desafios, muita coisa…
  • É perceptível o tanto que vocês são sintonizados, eu tenho 10 anos de casada e meu marido não sabe interpretar meio olhar meu, como completam a frase um do outro, como são conectados, é lindo de ver, é como se fosse uma dança, só que de palavras, fiquei enlevada por poder perceber, o amor aí reside.
  • Tantas questões polêmicas levantadas e argumentadas, ponderadas, foi uma aula, inclusive Di, tenho muito interesse em conhecer mais profundamente a questão da mulher pobre e sua “cria” na comunidade.
  • Inteligentíssimos, cultos, buscadores da cultura, uma sensibilidade, um cuidado com o que é dito, não há elogios cabíveis.
  • ahhhhhh quando lembrarem, me mandem a lista de livros, como eu disse, duas vezes por mês aqui tem como pegar…
  • Vcs cuidam um do outro mt sutilmente, de uma forma q tem q ficar apurado pra ver, mas nao tem um momento q se percam de vista.
  • Estava observando quando o Thiago estava na beirada o Di (agora fiquei a íntimaaaaaa) puxando pra perto e ralhando pra chegar pra frente e não cair lá em baixo.
  • não teve um único momento que me senti desmerecida, parece que naquele momento eu me coloquei na bolha de amor de vocês e fui inserida e fosse como estivéssemos alheios a tudo tudo.
  • Jesus estaria lá conosco.
  • #lulalivre
  • (Peguei o projeto para ver a viabilidade, estou me cagando toda, mas vai!!!) tem trabalho para tipo 3 anos.
  • Toda a nossa luta LGBTSSCSFSAF fodase é válida, vamos afrontar sim, vai ter inclusão sim, vai ter viado sapatao, anao cabrito e o que mais quisermos.
  • Reitero minha disposição pra tudo, aqui em casa tem quarto de hospedes, que é para hóspedes, sintam-se convidados para todo sempre.
  • Dá pra perceber que apesar da pele plena vcs sao sobreviventes, cada dia que a gente termina, a gente resiste!
  • Sobre os livrinhos infantis, me dá uma luz, sobre diversidade, o que precisarem, fora os livros da UFMG… 
  • SÓ SE EXPULSA DEMONIO EM LATIM RÁAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
  • não tem como mensurar, queria ter colocado vcs na minha bolsa e carregar comigo.
  • Me falem que tipo de coisa curtem de cultura.
  • Vcs sao mt maravilhosos, já disse isso??
  • que peleeeeeeee
  • adorei tudo, meu amor, gratidao, tudo tudo tudo de melhor, muito amor, sexo, dinheiro, liberdade, prosperidade…
  • VOCÊ TEM SEDA???
  • “JÁ SEI TODA A VIDA DE VOCÊS”....
  • Vontade de fumar um sampoerna
  • Vc é muito elegante Ti, tem uns gestos tao bonitos e delicados, é lindo de observar 
  • NÃO ESQUECAM Q MEU OFICIO É VENDER, mas como escritora sou uma observadora de pessoas.
  • Thi, que sorriso, estou sendo repetitiva?
  • alias amey o video de eu ouvindo o doido da flauta
  • imagina se tivéssemos bebendo?
  • Di, vou precisar de umas dicas em latim, ou como se aprende essa merda.
  • Thi, sua avó é virgem!
  • Manoooooooooooo só se expulsa diabo em latim kkkkkkkkkkkkkk to rindo disso tem dias.
  • O **** falou que vc Di é mt inteligente, por causa do esquema das cores que vc estava traduzindo das crianças, ele teceu altos elogios, disse que a nossa classe dá mais valor a cultura que qualquer outra, e que apesar de eu ter vendido duas telas originas, aquela foi a melhor venda do dia, nós que somos da inclusão ficamos felizes que se sintam bem em qq ambiente, depois ele perguntou “chama eles pra jantar amanha” mas eu iria embora cedo no domingo (ENEM)
  • Di, me passa a matrifusia da CEDERJ.
  • Eu me senti taaaaaaaaaaaao feliz, que fiquei com medo varias vezes de ser invasiva, perguntando intimidades, mas tava tao apaixonada que nao me segurei.
  • a minha viagem a **** valeu por vcs, é claro que a parte do trabalho é a parte, mas de esclarecimento, porque vcs sao tao francos, e abertos.
  • LATTTTTTTTTTTIIIIIIIIMMMMMMMMMMMMMMMMMM
  • Quero que vcs saibam que aqui vcs tem uma amiga, alguém pra pedir dinheiro emprestado e ajudar a esconder um corpo. 
  • Vcs sao amáveis, obrigada por compartilharem o amor de vcs comigo, se um dia, no meio de uma discussão, um momento de crise, releiam esse e-mail, para que lembrem que vcs se amam a ponto de um terceiro perceber e sentir, e se sentir envolto nesse amor, sem ressalvas, sem reservas, no dia que estiverem meio down, lembra q vi isso em vcs, vi a ponto de compartilhar minha vida e tudo o que puder para adiantar a vida de vocês.
  • Se precisarem de qq coisa na area eletrica, projeto, duvida, instalar chuveiro, fala comigo kkkkkkkkkkkkkkkk.
  • Queria ter muitas e muitas outras palavras, mas não havendo outra, fica meu muito obrigada, não somente pelo nosso encontro, mas por serem as pessoas que são, voem, o mundo é de vocês.

sábado, outubro 5

Multinacional

Estou disponível no mercado, que quer dizer desempregada, mas tipo, foi maravilhoso enquanto foi, nesses 16 meses que voltei (depois de 6 anos para a mesma empresa) agora é outro caminho, qual, sei lá.

sábado, julho 27

Mudanças a vista

Quero muito voltar a escrever, mas esse espaço já não me deixa feliz, nada mudará na escrita, mas esse "perfil" não me adianta mais, é desorganizado e preciso de um certo esforço, estou procurando um domínio e uma forma de fazer isso, tem muitos planos de 19,90 mês que podem me ajudar, estou realmente buscando, então, em breve nos mudaremos.

sexta-feira, junho 28

PARA OS LIVROS


Para todos os livros que li, uma pequena retribuição.
(Esse texto se desdobrará em vários..., então pega a ideia só da sinopse geral, não da linearidade...)
Sempre fui uma leitora voraz, desde que li meu primeiro livro impactante, Sidney Sheldon, Se Houver amanhã, com 14 anos, minha vida inteira se transformou, já lia muito, merda eu diria, mas tinha 14 anos, ainda não tinha inventado a Thalita Rebouças, sei lá o que se lê antes de um Sidney Sheldon, engraçado que esse primeiro livro ditou o tom de muito o que leria na vida, indicação da minha mãe, a quem sou eternamente grata.
____
Lendo tudo o que a biblioteca da província dava, comecei a ler nada a ver com nada a ver, livro de enciclopédia, (quando você tem menos de 18 anos, sério, a biblioteca é muito restrita!) e revista, e bom, pulando no tempo, um dia, Os Catadores de Conchas estava ali, me olhando, na biblioteca do colégio, e eu roubei ele porque era precioso demais para ficar em uma BIBLIOTECA! Até hoje aqui na minha estante, me desculpe biblioteca, (não voltei a cometer esse crime) como defesa só posso dizer que fiz muitas doações de livros, então me senti no direito dessa troca não autorizada, falava isso pra mim, porque eu inventei mil desculpas para a tia da biblioteca, falei que tinha perdido, que tinha devolvido e toda aquele palavrório juvenil.
_______
Hoje, sei lá quantos anos depois, em uma época bem sensível da minha vida, baixei no kindle... O MESMO LIVRO QUE TENHO NO FÍSICO E JÁ LI SEI LÁ, 32 VEZES? Sem dúvidas eu nunca li um livro tantas vezes e nunca senti nada parecido como Os Catadores de Conchas, assim com 100 Anos de Solidão.. (lembra que vai desdobrar...) a história do livro é tão boa, e tão atemporal, que toda vez que você pega pra ler... é uma história nova, e não uma releitura, considerado o melhor romance dela, jamais posso dar opinião sobre isso porque nunca quis ler nada mais dela, pra mim, aquela, é a leitura definitiva.
_________________
Eu lia Danielle Stell, uma coisa que hoje eu tenho e penso “gente, que bosta é essa?” porque quando fiquei meio perdida na vida, comecei a ler umas coisinhas bem legais e leves, estilo Melancia, Dan Brown... sabe umas coisas movimentadas porque precisava dar aquela movimentada na cabeça, mas sem ter o peso de um Crime e Castigo.

Eu citei Crime e Castigo e sempre acho que as pessoas podem achar presunçoso, mas não é, nunca fiz o tipo intelectual que sabe mais que sabe, na verdade sei porra nenhuma de nada, mas pelo menos exercitar o português correto (só escreve bem quem lê bastante, ou vice versa coisa assim)
_______________________
Uma das minhas maiores feridas foi ter parado de escrever, porque acho que no dia que dizia “vou voltar” essas coisas, nunca foi pra vocês, porque eu não sei quem são, se vêm, o que aconteceu com os blogs no Brasil, incrivelmente tenho além do Marcos, uma grande  mas era uma tentativa, de dizer pra mim, que eu voltaria a escrever, mas era um fardo...
____________________________________

segunda-feira, abril 15

Twitter

https://twitter.com/DCigarros

Cheguei atrasada e não sei nem como usar, nem como fazer, mas quando nasci não sabia porra nenhuma que sei hoje, então vale a pena tentar.


Escrever é um vício....

Acho que já escrevi aqui milhões de vezes que nunca parei de escrever, só que quando escrevo meus "diários" não preciso me preocupar minimamente com a linearidade da coisa, porque são apenas palavras vomitadas, normalmente cheias de coisas incoerentes (até para mim que as escrevi), frases soltas, palavras escritas em vários lugares, no caderno do trabalho, nos post its da vida, nos pedacinhos de papéis por aí, nas cadernetas perdidas, rasgo tudo, achando tudo uma grande merda, o que é realmente, só rasgo para que não acumulem, porque tem dias que escrevo tantas vezes a mesma coisa que parece um mantra, exceto minha maravilhosa agenda Cícero que não deixa nada a dever a Moleskine, estive pensando, porque não tentar transcrever algumas coisas por aqui? Só para exercício organizatório... sem nenhuma pretenção de nada, os asteriscos serão somente para assinalar que o assunto já mudou.
Vai ter edição para ter alguma coerência.

*Comecei um seriado ótimo, chamado Elementary, o sonho do Holmes é ser o House, mas ele não tem um décimo do charme do sociopata mais amado por mim, forçadíssimo.

*Esse governo é o que merecemos, que povo acredita em MAMADEIRA DE PIROCA?

*O casamento em si não me incomoda, o que me incomoda é a mesmice.

*O casamento não me incomoda, o que me incomoda é não poder transar com outras pessoas, o que estou PERDENDO NO MUNDO?

*Todas as pessoas mentem sobre suas dívidas.

*Alicia Keys escreveu Empire State of Mind só pra os não Nova Iorquinos se sentirem uns bostas..

*Tudo é um tédio.

*Deveria fazer um manual "Home Office" que seja realista....


sexta-feira, março 8

Cadê?

Eu costumava ser uma entusiasta de tudo, leitura, livros, trabalho, pessoas (talvez pessoas nem tanto...), qualquer coisa, sempre fui muito interessada, até que as coisas vão expirando, tal qual a promoção da Netflix, tudo na minha vida parecia saturado, faltando perspectivas, faltando sal, faltando tudo o que me agrada, ainda sou uma pessoa de extremos e é um erro achar que a gente muda (mudar muda, mas nem tanto) e andava empurrando a vida, como quem empurra aquele carrinho de compras bambo no supermercado, sem muita vontade, mas na obrigação de continuar vivendo.

Cá estou eu em uma noite de sexta-feira onde várias coisas poderiam estar acontecendo, mas simplesmente não acontece nada, meu casamento, meu trabalho, meus papos, meus livros, é tudo tão morno que sinceramente se tivesse depressão novamente, quem me culparia?

Resolvi escrever, como sempre faço, mas sem publicar, porque ando me achando ridícula, fora de forma com as letras, mas quem se importa, sério, quem além de mim se importa?

Ando na rolagem eterna das redes sociais, empobrecida vendo as imagens, embotada pela realidade do mais ou menos, de tudo que mais odeio na vida é o tal do mais ou menos, pra mim tudo sempre é tudo ou nada, onde achei que me adaptaria a uma vidinha mais ou menos? Até quando estava doente tinha mais "adrenalina", pelo menos a onda de ter que sair da doença, de ter que permanecer viva.

Tem dias que olho pela janela e penso cadê a energia que estava aqui? Nada me tira da cabeça que toda vez que me modifiquei para caber na porra da normalidade muito mais perdi que ganhei, porque toda vez que preciso caber, é fato que preciso cortar algo da minha personalidade, e cada corte, nada novo cresce e só se vai...

Hoje resolvi fazer algo diferente, coloquei as músicas no fone, mandei alguns clientes pastarem (mentalmente obviamente), olhei pro Marcos e pensei foda-se você também, parei de dar trela para algumas amizades e resolvi, de novo, again e and again, vou tentar, mas agora de uma forma diferente, ao invés de me reinventar para algo ter aprovação, vou cagar para essa merda toda, o que no final é sempre o que faço, porque não tenho paciência para essa vida, não tenho paciência e nem estou ficando mais magra ou mais bonita com o passar das crises, estou cada dia menos a fim de tudo isso que vive rodeando minha mente, que melhor forma de passar o tempo que não escrevendo, pondo pra fora toda essa coisa que me consome?

(sem revisões, como sempre)




quinta-feira, janeiro 3

Aniversário

Amanhã completo meus lindíssimos 34 anos mais gata que aos 20 e mais desejada que não lembro quando, gostaria de pedir a todos meus amigos e familiares que sempre me presenteiam, agora incluso leitores, que esse ano vou pedir ajuda a pessoas que precisam mais que nós, me comprometi a ajudar uma senhora com panelas grandes pois ela alimenta aos pobres todos os domingos, com panelas pequenas tem muito mais trabalho, tendo que cozinhar a noite inteira, toda sexta-feira, conheci sua casa, seu trabalho, sua igreja que é uma tenda de lona, onde as pessoas vão, se alimentam e voltam mais felizes para casa e abençadas para casa, ela já realiza esse trabalho a 8 anos e é uma coisa maravilhosa.

Se você puder nos ajudar com 5 ou 10 reais, ficarei muito grata e a Dona Geralda também, o dinheiro que sobrar vai ser comprado cestas básicas para manter essa ação tão maravilhosa.


Minha conta no Itau é AG 1399 CC 65143-7 Cristal, qualquer coisa me mandem e-mail no cristal.adm@gmail.com, que enviarei as fotos do lugar,  da dona Geralda - não vou expor pessoas que não me autorizaram a colocar suas fotos em um blog que é aberto ao público em geral.

Algumas pessoas já responderam e acredito que vamos conseguir, será um ótimo presente de aniversário, poder ajudar em um ano que não estou precisando pedir dinheiro para mim.

"Não há salvação fora da caridade" - Allan Kardec

As panelas são tipo essa, só que maiores.


quarta-feira, janeiro 2

Retrospectiva de 2019

Voltei a escrever, mas ultimamente só tenho escrevido sobre sexo, porque além de ser um assunto do meu interesse é uma forma de retirar o bloqueio criativo (entre outras vantagens!).

Resolvi fazer uma levíssima retrospectiva de 2018.

Marcos e eu não nos separamos nos três primeiros meses de casado.

A vida de casado é um saco uma boa parte do tempo.

Você só conhece uma pessoa depois de casar, mas depois de anos já te dá uma boa ideia. Dica: Tentem não se casar com alguém que vocês não conheçam muito bem.

Recebi uma ligação me convidando para voltar ao meu emprego no Rio, exercendo uma função aqui em Minas.

Recebi outra ligação dizendo para me demitir que eles estavam com pressa.

Challeng Acept.

Não sabia exatamente como faria (se parece comigo?) e comecei a trabalhar home-office fazendo um trabalho de vendas, desenvolvimento de área e engenharia reversa das partículas quânticas zzzzzzzz (assunto chatíssimo).

Trabalhar home office é muito diferente do que a maioria imagina, você NÃO VAI ACORDAR TARDE, FAZER SEU HORÁRIO E TRABALHAR DE PIJAMAS ENQUANTO VÊ NETFLIX, provavelmente você vai trabalhar mais que as outras pessoas, ningém saberá, ninguém parabenizará, porque estão em escritórios em outros estados/países.

Durante as primeiras quinzenas, foi um desespero, as que seguiram, idem.

Sabendo que sou foda, se você não sabia... saiba agora, acabei vendendo muito mais que todos imaginaram, incluindo eu.

Me mantenho emregada.

Ninguém da minha família morreu.

Ganhei uma calopsita.

Comprei dois casacos de couro.

Não pedi dinheiro emprestado aqui no blog.











terça-feira, janeiro 1

Prazer, eu.


Só as pessoas que já tiveram depressão ou que tiveram reveses estranhíssimos que podem verem toda sua vitalidade, personalidade e abandono dos sonhos... ou seja, MUITA GENTE, por isso espero que você consiga me entender e se esse for o seu momento atual, te dizer, que sim, você melhorará.

Sempre fui a cagona mais destemida que já conheci!! Tem que andar na rua de madrugada? Não tenho medo. Mudar de estado? Moleza. Trocar resistência do chuveiro? Viver do jeito que quero? Quase nada dessas coisas me dão medo, fico apavorada três segundo e foda-se, let´s do it! Now!

Quando notei que minha persona havia mudado, estava doente, mas não sabia o quanto isso afetaria minha personalidade estava diferente e eu não me reconhecia, só que quando notei, dois séculos se passaram... e aí começou o tango mais difícil da minha vida, duas personalidades aprendendo a dançar e tentando se conciliarem, achei que conseguiria... imagina isso dentro da sua cabeça? Nunca daria certo, a gente pensa cada merda que é admirável a ignobilidade do cerumano. 

Diversas coisas aconteceram e minha auto estima melhorou pouquinho, minha confiança foi aumentando e pensei “agora vai” achando que lentamente minha mente se encaixaria, aí veio uma bomba!!!

Pausa dramática.

.
.

Me reincorporei total, de repente já era eu mesma a de antes a de agora e todas elas, a doida voltou com tudo, a competente, a “ah foda-se essa merda”, “vai dar tudo certo”, que lindo isso, odeio a maioria das coisas! Todas estavam juntas e desembaladas dentro do meu cérebro, foi o encaixe mais perfeito da terra, o caso de amor mais lindo, eu era todas, todas eram eu.

É inexplicável essa sensação, como se você estivesse quase morrendo de sede e bebesse um copo d´agua, só que essa é uma explicação pífia em comparação.
Finalmente me reencontrei no meio do caos, algumas coisas tem me surpreendido, como o quanto eu gosto de dinheiro, de sexo, de estar certa, de bater o pé, de ser “não abaixo a cabeça” e tinha esquecido dessa porra toda, então tem umas atitudes minhas que estão tipo “que isso Cristal” – mas algumas pessoas ou esqueceram ou nunca conheceram essa pessoinha que é um amor mas que é implacável nas vontades, saber que essa sou eu, prazer, foi o melhor de 2019.





domingo, dezembro 30

Estou bem.

Estava com uma saudade enorme de dizer, eu estou bem.

A depressão deu trégua e as coisas começaram a se encaixar novamente, como tudo que é perfeito, a gratidão por tudo o que meu aconteceu no último ano só transborda.
A energia flui, me sinto livre à muito, todo meu poder me retornou ao corpo e me sinto não só bem, como me sinto eu mesmo, eu me sinto hoje.

Com emoção transbordante posso afirmar, como foi bom me reencontrar, que pessoa maravilhosa e boa amiga sou.

É fabuloso ser eu.


quinta-feira, novembro 29

Desentulhando e desintoxicando

Cada dia que passa eu jogo mais coisas fora e dôo mais um tanto, semana passada dei dois sacos de roupa que não tinham nada a ver comigo, vendi duas bolsas e joguei um tanto de coisa fora, estou estudando como fazer as coisas durarem mais e economizar, com isso acabo por repensar muito meus padrãos de consumo.

Problema ainda é não saber dosar muito bem quando faço comida, por isso jogo "muita" coisa fora, aqueles potinhos que vivem morando na geladeira e um dia estragam, comer a própria comida todos os dias depois de 15 anos comendo fora todos os dias é uma dificuldade que ainda não consegui ultrapassar, preciso reorganizar as questões relacionadas a quantidade e o que gosto de comer (acabo que gosto de comer só a comida feita na hora, quando a coisa fica rolando uns 3 dias na geladeira fica mais difícil de comer, Marcos me chama de fresca, mas foda-se ainda não melhorei essa característica).

Continuo escrevendo todos os dias, mas esqueço de "alimentar" o blog, e precisei colocar um post-it aqui no computador para me lembrar de escrever pelo menos um texto por dia, o que não é fácil dado o problema de não querer me expôr demais, apesar de no fundo achar isso uma tremenda bobagem, quem liga para o que escrevo além de mim?

Voltando ao desentulho, estou repensando como gosto de me vestir e se vale mesmo a pena comprar aquela bijuteria da China para durar tão pouco, a obviedade responde por si só e acabo deixando a coisa de lado, mas ainda não consigo dizer não a todas as coisas que quero comprar, meu padrão continua sendo bolsa, sapato, maquiagem, perfume, mas em quantidades muito menores que antes, a última bolsa que comprei já data um ano, e trabalhando home-ofice acaba que estou trabalhando só de tênis mesmo.


Muita coisa aqui em casa que vieram da casa de outras pessoas mortas e ou de doação de leva para você, estou me livrando aos poucos, não é fácil, tampouco difícil, a maior dificuldade é realmente parar, organizar e repensar se gosto ou não daquela coisa, nessa leva já joguei fora um monte de enfeite e a próxima coisa é a cadeira de escritório capenga (já tenho uma nova) e pano de chão, toalha, uns panos que a gente guarda não sei pra que...

Muitas coisas poderiam ser doadas mas infelizmente ninguém quer vir buscar e não tenho como levar, então tirando minha vizinha algumas coisas vão para a lixeira mesmo, sei que meu próximo passo é gerenciar resíduos mas ainda não cheguei nesse ponto, então, melhor não me adiantar.

Cada dia me sinto melhor em relação as minhas coisas, apesar de saber que ainda tenho muuuuuito o que fazer. 



terça-feira, outubro 16

Computador porque me quebrastes?

Puta que pariu, que tem épocas que tudo o que a gente quer é sair correndo pelada e largar tudo para trás!

A empresa minha dona me forneceu um notebook muito show para trabalhar, exceto pelo fato de TER PARADO DE FUNCIONAR, vocês imaginam como é um vendedor que precisa vender, não conseguir por falta de ferramentas? Levei no moço consertador e ele me informou que o HD foi para o saco e para consertar precisa de um novo, mandou os custos para mim, que repassei para a empresa, e agora temos que esperar uma autorização vinda diretamente e manunscrita pelo senhor Deus com três carimbos e a assinatura do papa endossado pelo pelos três reis magos para conseguir a autorização de conserto, caso não queiram consertar, tenho que esperar me enviarem um novo, sendo, minha matriz Brasil é no ridejaneiro e minha matriz matriz é na França, então lá se vai alguns dias...

Esse notebook que estou digitando é o meu, além de não ter pacote office é tão antigo que o teclado tem figuras ao invés de letras, tem coisa de 10 anos esse notebook por aí, então estou aqui em desespero e ansiedade sabendo que PRECISO trabalhar e sem ter como.

terça-feira, outubro 9

O cliente chato 2

Esse cliente é o mesmo do outro post, veio falando de politica, é complicado porque as pessoas acham mesmo que eu sou uma máquina de escutar abobrinha, e estava lá, zero paciência, as sempre sempre sempre a educação e profissionalismo acima de tudo... falei "amigão o voto é secreto" continuei dizendo que estava ocupada e deixei pra lá.

Desentulhando

Hoje joguei uma sacola enorme de roupas fora, roupa furada, sutiã sem aro (vou consertar e nunca conserta) calcinha sem elástico e pijamas desencontrados, me impressionei (novamente) com a quantidade de coisas que tenho e não uso em abolsuto, coloquei três bolsas de couro a venda por uma barganha no enjoei  e já quero que elas vão embora, estou realmente muito empenhada e dar um fim nessas coisas todas, e diminuir meu guarda roupa para 30% do que ele é hoje, o guarda roupas e todas as tralhas de maquiagem e sapatos idem.


quarta-feira, outubro 3

Caminhada

Hoje caminhei durante 25 minutos, durante dias que viraram meses quis fazer isso, mas cadê a "força" necessária para sair da inércia?

Os dias passam, passam um dois, quando percebemos passaram meses e anos, daqui a 10 dias faz um ano que moro nessa casa e nesse tempo sempre quis "caminhar" mas tirando um esforço realmente grande para trabalhar e fazer o básico do básico, simplesmente não conseguia, aconteceu uma dessas milhares de epifanias que tenho, que tenho que... começar com o que tenho! É tão simples e mil gurus já disseram isso, é verdade, o mais óbvio é sempre o negligenciado...

Não direi a obviedade que me senti melhor depois da caminhada, isso é o óbvio mesmo, então depois de muito tempo (caralho, põe tempo nisso!) acreditei lá no fundo que eu conseguiria, vou conseguir sair dessa, mesmo que precise reunir todas as minhas forças, ferramentas, artifícios, o projeto da minha vida hoje é ficar bem, já liguei mais para dinheiro, para saber, para a carreira, isso tudo foi arrefecendo de um jeito estranho e triste, mas se seu focar só em ficar bem o resto fluirá, tenho certeza absolta disso.


Desentulhando

Todos os dias eu jogo coisa fora ou separo para doação, a questão é que a pilha não parece diminuir, sempre tem as coisas que "ah esse foi caro" "ah esse quando eu emagrecer trocentos quilos" "ah esse isso e esse aquilo" - porra, tá foda.

Eu quero adotar o minimalismo mas não consigo desapegar de um óculos de 1900 e bolinha porque, o tal foi caro.

Não dou conta de usar tudo isso e nem conta de vender tudo isso, meu Deus preciso de ajuda.

segunda-feira, outubro 1

Organizar e-mail

Minha função organizatória dessa semana é organizar e ler ou deletar (bastante provável essa última opção) os 8.000 e-mails que estão na minha caixa de entrada.


segunda-feira, setembro 24

O Cliente chato

Mano, eu tenho uma pá de cliente chato, mas esse supera...

Ser vendedor é ser chato por natureza, mas não dou a mínima, comprador chato normalmente se enquadra em uma categoria onde o cara normalmente quer o que não existe, se não for por isso a pessoa nem é chata, exceto por esse... o cara toda semana tem uma zica diferente, toda semana é uma caganeira, batida de carro, filha que dá problema, e liga só pra me contar essas coisas, que comeu camarão estragado, que a mulher dele descobriu um caso... sempre tratei na maior amizade até que hoje percebi que essa "amizade" só me faz perder tempo, o cara nunca compra NADA comigo, por mil motivos contornáveis até, mas que ele faz questão de dizer que são incontornáveis, fala mal de concorrente pra mim, ou das vendedoras que dão em cima dele, sem paciência hoje falei com ele "sério fulano, vai se benzer" - ele riu e EU: SÉRIO, VAI SE BENZER!

Mesmo com ele rindo e eu querendo dar "uma passada de tempo" falei que estava ocupada e desliguei, que alívio, não me contaminei com essa urucubaca e voltei a fazer coisas realmente importantes.

Fica a lição que pra perder tempo sempre tem um filha da puta.

Acabativa

Estou focando nesse momento em finalizar todos os projetos que já abri (ou se for o caso, fechando e abandonando de vez, mas conscientemente) mas não deixando para lá.

Muitas vezes a gente começa alguma coisa, esquece, começa a outra, abandona, começa outra, três dias depois não sabemos mais porque começamos, e assim se passa UMA VIDA.

Estive embolada em tudo quanto era projeto maluco incluindo alguns que simplesmente não se adequam, por isso tive que escolher só três e esses já são suficiente para me ocupar durante um bom tempo.

São eles: emagrecer, descobrir os motivos do meu consumo e minimizar, fazer cursos ligados a minha carreira, só e já é muito!

Percebam que no meu caderninho de "idealizações" porque não eram metas, tinha um tanto de coisas sem pé nem cabeça que demorou dias, literalmente, para eu destrinchar todos aqueles assuntos, que desejos eram aqueles quando escrevi, o que queria despertar em mim e na minha vida com aquelas metas? Resolvi que feito as primeiras coisas, finalizada uma eu parto para a outra, não embolando ou colocando umas por cimas das outras, porque isso só estava só me trazendo frustração, e esqueci o caderninho tão idealizado que estava me trazendo sofrimento, são 3 coisas e só, finalizada uma posso partir para a próxima.





quarta-feira, setembro 19

Projeto qualquer aê

Peguei um resfriado tão brabo que emagreci 2kg, isso é mais ou menos uma semana de dieta feroz (coisa que não faço tem um bom tempo), fiquei com aqueles resfriados chatos que tudo dói, um mau humor do caralho e agora estou me recuperando.

terça-feira, setembro 18

Desapegando

Joguei fora dois batons velhos e uma bijus sem pai nem mãe, assim caminha a passos lentos essa era do minimalismo que nunca chega aqui.

Ferrugem

Só vou desenferrujar se voltar a escrever não é mesmo?

Vender

Vender é um trabalho de maluco que eu odeio tem dias, mas na maioria eu adoro.


segunda-feira, setembro 17

Desapegando

Consegui a duras penas juntar uma sacola grande de roupa para dar, agora falta coragem para mexer em todos os outros lugares com coisas mocadas, guardadas e sem serventia.

Reaprendendo

Eu nunca soube de nada de bosta nenhuma, e o que sabia era fruto de muita persistência e sem nocçaozice (assim permanece) de uns tempos (anos) para cá eu venho emburrecendo constantemente, seja por motivos de doença ou de preguiça, fato é que minha vida anda um marasmo (burro) já tem uns períodos.

Quando estive doente (mais) pensava em como fazer tudo com o mínimo esforço possível, e hoje percebo que esse atalho de nada adiantou, é claro que estava doente e por isso não me culpo tanto, mas o que fazer quando não está tão doente assim e quer melhorar alguma área? Sei lá.

quarta-feira, julho 11

QUE MÚSICA É ESSA?

Xente, serião, todo mundo tem uma playlist meio louca, mas as minhas estão ficando de parabéns...

A Rê me doa uma parte da conta dela do Spotify, com a promessa de quando eu for rica levarei ela para a Europa, promessa que ela mesmo inventou e que terei o prazer de cumprir, aliás minha Netflix também é de uma leitora (essa não exigiu nada..), porém não estamos falando das doações da vida não é mesmo?

Agora trabalhando home office (vai vir texto para isso já já - tempo que pode variar de dias a anos), mas retornando as músicas, sempre fui cafona, além de ser carioca, portanto uma certa apreciadora de funk e outras drogas, mas no momento ando de parabéns, porque juntei o funk com uns sertanejo do clássico antigão aos "universitários" (estamos em Minas) e tudo que é novidade que aparece nesse perfil no Spotify... tô dentro, ouvir podcast que melhorariam minha vida, que isso! Pego meu fone e vou embora.

Pior, agora eu sei CANTAR essas músicas, não vou dar nome aos cantores porque não sei mesmo alguns mas tem Welsey safadão, Anitta, e uns MC´s com final em diminutivo como  Mc Lovinho ou algo assim, é uma mistura estranha, ruim mesmo, porque ouço umas listas (musicais e não de mercado) de foco que são basicamente instrumentais e mantras, do nada abro outra playlist e minha casa vira um super churrasco de domingo cafona, cheio de gente bêbada e carne de segunda,  tem músicas que me elevam a cornitude automaticamente, e ouço e ouço e começo a cantar, ah eu disse que sei cantar, mas já tentou pegar essas músicas de ouvido? A maioria é uma gemidaiada danada então você acha que está cantando quando na verdade está só falando os finais das palavras, teria vergonha se alguém ouvisse o que ouço, mas aí seria vergonha alheia não é?

Enquanto escrevo esse texto estou ouvindo o HINO "Largado as Traças" do fulano que faz dupla com sicrano lá.








terça-feira, julho 10

Desapegando II

Fato é que eu gosto muito de comprar, mas principalmente tenho um apego pela desorganização, se alguma coisa some, por exemplo um brinco, compro um parecido ou igual quando po$$o, por isso tenho 4 lapiseiras iguais: literalmente, venho tentando diminuir o consumo, diga-se de passagem com sucesso = zero.

Algumas coisas parei de consumir por pura falta de dinheiro, porém pouca coisa mudou no meu cérebro, não teve um impacto realmente significativo a falta da grana durante um longuíssimo e tenebroso inferno, tipo não mudei minha mentalidade, só mudei a prática de consumir... pela pobreza, porém, como não mudei, continuo consumindo mentalmente ou supérfluos cabíveis no bolso, pode ser um pastel, não falo isso com orgulho ou vergonha, mas em um mundo virtual onde todo mundo é super bem resolvido em TODAS as áreas é foda ser ou falar que você NÃO mudou com algumas coisas, é esperado quando você chega em uma idade... a maturidade, que você tenha o emprego perfeito, seja fitness, pare de fumar, construa uma família e essas coisas, e basicamente sou a mesma coisa que era, com algumas desvantagens que a depressão deixou.

É um pavor desapegar, tem dias que é tranquilo, tem dias que é uma merda, olho as coisas e nem sei como acumulei algumas coisas.

Ah Cristal, comigo não é assim. que bom, parabéns, conte-me nos comentários.

Ps1: Tenho uma leitora que não sei quem é agora, que diz que todo dia quando chega em casa ela joga alguma coisa fora, acho lindo.

Minha casa (para quem não sabe eu e Marcos juntamos nossos apartamentos) e fica claro que nós dois somos uns incapazes de jogar coisas fora, não estou falando de jornal velho, mas de coisas que foram nos dado, ou de antepassados, praticamente nossa casa é feita de coisas que compramos e herdamos, minha casa (repetitivo essa coisa de minha casa, mas foda-se) parece uma casa dos anos 70/80 porque alguns móveis são de sei lá qual parente morto, meu conjunto de quarto é fato que tem mais de 50 anos, porque era da avó do Marcos mas está em ótimas condições, porque eu compraria algo que está tão "novo"? Fora o que compramos de segunda mão (um bom percentual) ou que achamos no lixo como um banquinho que está na varanda.

Agora venho tentando desesperadamente delimitar essa coisa de consumir e apegar, li um livro ótimo, mas não coloquei nada em prática da Marie Kondo, agora estou tentando fazer ALGUMA COISA, aí hoje eu consegui jogar fora:

Um avental velho e manchado.
Separar uma calça para doação.
Finalizar um perfume.
Pano de prato manchado pro lixo.


Ps: Eu consigo jogar fora lixo literal tá, claro que ando também pensando com certa agonia essa coisa do lixo, plástico e etc, mas não consigo nem o básico (na vida) e quero ir pro avançado, porque só leio coisas legais sobre ser vegano ser zero waste, que fico meio neurótica, mas não de um jeito bom.

Sei que as coisas radicais são mais legais, são mais bacanas de escrever, mas vim aqui para meus 4 leitores dizer que olha, faça as coisas do seu jeito, no seu ritmo e uma hora dá certo.

Eu mesmo não sigo esse conselho é óbvio, mas quem acredita que as pessoas falam o que escrevem?






quarta-feira, junho 20

Desapegando

Semana passada vendi uma bota que nunca usei por R$20,00 - era uma bota da Luz da Lua, obviamente custou MUITO mais caro que isso, porém porém se não tem uso não tem valor, estou tendo enormes dificuldades de desapego, de espaço, de desapegar literalmente, mas depois que a bota se foi, eu não senti a mínima falta já que a mesma não tinha uso nenhum...


Enfim, hoje não tô muito escritora não kkkkkkkkkk.

segunda-feira, junho 18

Trabalho.

A gente tem que amar muito o que faz não é minha gente?

Você trabalha dias em um projeto, faz a negociação pesada, as coisas mais lindas, fala em vantagens JAMAIS IMAGINADAS, o cliente fecha.

O financeiro não libera porque precisa, aqui vem a parte engraçada, precisa das cartas da Rainha Elizabeth, o cliente consegue, pede as anuências da Princesa Isabel, beleza tá aí no seu e-mail Cristal, me manda o SEU contrato com SEU cliente? Moleza. Agora por favor um pentelho do Silvio Santos, 5gr de pó de unicórnio, a pétala da orquídea negra que tem no alto do Everest....

Aí eu perdi a venda. Fizemos o possível, mas não foi possível. Eu ganho dinheiro vendendo, obviamente não estou feliz, estou queimando por dentro, vontade de sair grunhindo!

Meu cliente pensou pensou e decidiu que dá muito trabalho.

Mas a gente se mantém motivada, afinal amanhã é outro dia e teremos MILHÕES DE CLIENTES QUERENDO FAZER NEGÓCIO COMIGO.




sexta-feira, maio 25

Aê caralho.

Aí que minha empresa está no Espírito Santo, com matriz no Rio de Janeiro, advinha se com essa greve (que não vou informar meu posicionamento político porque é óbvio que sendo pobre eu só posso ser de esquerda, então não estou reclamando exatamente disso) - mas quantos pedidos eu deixei de entregar essa semana? Sabe qual o número?

TODOS.



Bom final de semana.

segunda-feira, maio 21

Job

Como vocês sabem, ou deveriam saber se fossem meus amigos (what?!) é que voltei a trabalhar em uma multinacional, não vou escrever sobre diferenças de culturas porque isso será outro texto e dentro desse pequeno texto abaixo (sei lá que tamanho sairá..) tem uma dica importante para sua carreira, então prestenção.

Existe um pedantismo linguístico enorme e me lembro bem agora das multinacionais falarem e inglêszarem palavras e jargões que já existem no português, e isso é um foot no saco, vou explicar e exemplificar.

Muitas pessoas não falam inglês, primeiro ponto, eu mesmo arranho no máximo consigo me comunicar se for por escrito, melhor, mas falando só sai inglês estilo Joel Santana, por isso (ainda, sabendo do meu despreparo) não me meto a falar o que não sei, portanto quando você, chefe, cliente, ou empresa como um total quer enfiar guela abaixo certos jargões não se esqueça que você provavelmente será mal interpretado, principalmente porque a pessoa literalmente NÃO ENTENDEU WHAT FUCKING kkkkkkkkkk.

Vamos lá, no meu ramo as palavras feedback (que pode muito bem ser dito "retorno") e follow up, já são muito usadas, até pelo sistema que trabalhamos e por sermos vendedores precisamos e usamos as duas, tem mais exemplos mas agora me fugiram, o tal datasheet, tem sido bem usado nos últimos dois anos então, está mais comum, apesar de eu insistir com "folha de dados" para alguns clientes pois é idiota dizer datasheet, porém tem palavras que é melhor ter cuidado.

Sempre vou me lembrar da minha primeira reunião de "brainstorm" que eu não sabia o que era e não tinha google tradutor na época para ajudar (ainda estávamos usando fax e a internet era só mato), cheguei na reunião já em frangalhos porque não sabia o que era, e a mil anos atrás meu chefe achou bonito falar isso, depois percebi que toda a equipe estava tensa, porque no mínimo achamos que tomaríamos uma comida de rabo fenomenal...

Ouvi a pouco tempo que o tempo do "pay back" - saiu como PLAY BACK.. era de x tempo, pela cara do meu cliente ele não sabia que a expressão "pay back" era "seu dinheiro de volta" (não fui eu quem falou, mas follow de baile) e aí que quero entrar (olha o tamanho da introdução!!!) quando um vendedor se comunica mal, usando jargões em inglês, e o cliente não tem conhecimento que muitas vezes isso é um jargão da minha empresa, ele fica pastando e enquanto ele pasta, você perde o negócio.

Existe o pedantismo linguístico aí, muitos de nós muito mal falamos e escrevemos em português, quiçá em inglês, então quando você quer falar legal as paradas em inglês corre o risco ridículo e desnecessário de literalmente não ser entendido, tal como jargões de business e palavras soltas fora do contexto da negociação, mais um exemplo clássico é de uma cliente que diz que o target dele é de x, mas ele não quer dizer que o alvo da negociação é x, e sim que a verba dele é de x, entenda que o tal target é para ser alcançado, mas nem sempre conseguimos enquanto se ele falar verba fica ESTICADO NA CARA que ele não pode gastar mais que aquilo, existe uma diferença enorme entre alvo e limite.

Me lembro que quando era mais nova existia uma certa pressão em aparecer ou me reafirmar nesse meio difícil e machista, mas era só insegurança, então da mesma forma vejo o pedantismo do inglês dessa forma, um fala o que não sabe e o outro finge entender, porque é difícil as pessoas admitirem ou que não sabem ou que não entenderam, você sai da reunião com uma leve impressão de que poderia ter sido melhor e sua impressão está certa, seu cliente não entendeu nada, ou MELHOR se ele é fluente você sairá como babaca que não sabe  que está falando, quem gosta de fazer negócio com pessoas que não sabem o que está falando ou que acham somente? É uma idiotice sem tamanho, porque no que fazemos a clareza de entendimento é importantíssima, se alguém não entender sua proposta já diz o sábio Marcos, se alguém não entende o que você diz, a culpa é sua por não saber se comunicar e não do outro que não entendeu.

Então das duas partes está ridículo, se você sabe exatamente o que está falando e o outro não você está colocando o outro em uma situação abaixo desnecessariamente, se ele entende e você continua papagaiando num canhestro inglês quem passa por imbecil é você, portanto cuidado com jargões sem pé nem cabeça, temos que nos ater que aparecer não significa negócio fechado e que a simplicidade guarda uma preciosidade enorme, pelo fato de ser... simples.

Então gente, be carefull com essas palhaçadas, falar umas 5 palavras em inglês não deixa você habilitado de nada, no máximo entendido de ser babaca, é igual falar "arigatô" e se achar fluente em japonês, então perceberam o ridículo né? NÃO SEJA ESSA PESSOA, o máximo que eu faço é falar  algumas palavras que já são de uso comum, ou sigo a linguagem do cliente, se ele fala algumas coisas eu repito o que entendi e o que não entendi pergunto, melhor perguntar mesmo, demonstra que você está disposto a entendê-lo e isso é importante, se a parte "humilde" te couber na negociação, faça, não tenha vergonha, melhor que não ganhar dinheiro pelo orgulho, sempre tenha em mente que seu trabalho é o meio (de ganhar dinheiro, de ter satisfação...) mas que no final sempre em qualquer empresa a parada é fechar o negócio, então deixo vocês com a piada do Nirso, que é frequentemente lembrada por mim.

Um gerente de vendas recebeu o seguinte e-mail de um de seus novos vendedores:
"Seo Gomis, o criente pidiu mais cuatrocenta pessa. Faz favô di tomá as providenssa. Abrasso, Nirso."

Aproximadamente uma hora depois, recebeu outro e-mail:

"Seo Gomis, os relatório di venda vai xegá trazado proque nóis tá fexano umas venda. Temô di mandá mais treis mir pessa. Amanhã tô xegano. Abrasso, Nirso."
No dia seguinte, mais um e-mail:
"Seo Gomis, num xeguei pucauza de que vendi mais déis mir pessa em Beraba. Tô ino pra Brazilha. Abrasso, Nirso."
No outro dia:
"Seo Gomis, Brazilha fexô vinte mir. Vô pra Frolinopis e di lá pra Sum Paulo no avinhão das 7 hora pra fechá mais vinte. Abrasso, Nirso."

E assim foi o mês inteiro.

O gerente, muito preocupado com a imagem da empresa frente aos clientes, levou ao presidente as mensagens que recebeu do vendedor.
O presidente escutou atentamente ao gerente, leu todos os e-mails com os erros e disse:
- Deixa comigo! Eu tomarei as providências necessárias. E as tomou...
Redigiu de próprio punho um aviso e o afixou no mural da empresa, juntamente com os e-mails do vendedor:
"Pessoar,
A partí di ogi nóis tudo vamô fazê feito o Nirso, vamo si preocupá menos de iscrevê serto, módi vendê mais.
Acinado,
O Prezidenti."


quinta-feira, maio 3

Buziness

Você sabe que está no emprego correto quando é uma contratada de mais de 2.000 anos.




Ps: Recortei do banco de dados da empresa no meu perfil, não aguentei e tive que compartilhar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

segunda-feira, abril 9

Acabo de lembrar...

QUE TENHO PAVOR DE VOAR, AAAAAAAAAAAA
carai de avião que inventou isso gente.

sexta-feira, abril 6

Me demiti, mas...

Todo mundo sabe dos perrengues financeiros que passei no último ano, ou nos últimos anos, mas The Secrets sempre vence.

Sexta-feira dia 23 último, pedi minha demissão pois fui admitida em outra empresa, aliás fui convidada *(gente, para, respira e sente essa emoção) uma empresa que já trabalhei no Rio, minha paixãozinha de sempre me chamou de volta depois de seis anos, mas você vai voltar para o Rio? Não caros colegas, vou trabalhar para outra unidade, em homme office, sim caríssimos e ilustríssimos colegas, vou  trabalhar in my house e bom, vamos deixar a parte que eles são cruéis em suas metas e mata a gente de trabalhar, monitora nossos peidos e que toda qualificação do mundo é pouca pois tem sempre algum jovem de 14 anos com MBA em finanças por Massachusetts College from hell, ainda estamos na fase lua de mel e sorrisos, todos boa vontade.

Então que semana que vem depois de nenhuma negociação pois eles me chamaram e me demiti, vou fazer um treinamento de uma semana em outro estado, vou ficar cinco lindos dias em um hotel (gente só de pensar em banho de hotel aquele chuveiro quente com muita água, meu coração chora de alegria) com hotel e tudo pago porque eu mereço, sim eu mereço, alguém aqui esqueceu quem é a vendedora fodástica da porra toda? Pois é, eu me esqueci, mas felizmente alguns lembram, estou muito nervosa, pois obviamente eles esperam uma performance parecida com a que eu tinha seis anos atrás, ou seja, trabalho duro, dinheiro na mão calcinha no chão, e muito resultado, muito resultado, muitas lágrimas, não quero dar detalhes das minhas atividades, títulos e etc, mas é óbvio que estou muito feliz.
Esperei dias para contar essa novidade e algumas pessoas ainda nem sabem, mas são as que menos ligam para mim portanto, foda c.

Estou muito animada com essa nova oportunidade e tipo cagando arco íris de emoção de saber que algumas coisas estão realinhando, portanto me dêem os parabéns.




segunda-feira, abril 2

Caozinho e seus teclados

Não tenho escrito pq meu teclado nao funciona direit, o do notebook jurássico, ele está falhando demais mesmo.

Vou comprar um essa semana ou semana que vem...

domingo, março 11

Falazada #2

Minha amiga Laís, e outros mineiros tem uma palavra para quando as pessoas danam a falar igual doidas, ou falam sem parar a tal "arrumou uma falazada".

Marcos do nada arrumou uma falazada aqui, eu olhei pra ele e falei o que gostaria de ter naquele momento, ele esperando o de sempre, dois milhões de dólares, uma pizza, um hambúrguer e eu UMA ARMA DE DARDOS TRANQUILIZANTES, para atirar nele.

Sério.

quinta-feira, março 8

DIU - 1#

Coloquei um DIU de cobre, (vai dar um google caso não saiba que não vou explicar) todos sabem do meu posicionamento quanto a ter filhos = zero vontade, nenhuma, adoro crianças, mentira.
Mantendo minha palavra que nessa vida não reproduziria, simplesmente porque é de minha vontade.

Quando digo que coloquei o DIU quero dizer que meu ginecologista colocou, vai que vocês acham que em uma bela tarde eu resolvi enfiá-lo em minha vagina, melhor explicar, aliás farei isso agora, com detalhes sangrentos, por isso se você é sensível, tá aqui um link pra você ver um desenho da Peppa. Não continuem, bom já que querem...

Fiz um exame de visão 20 minutos antes, porque pago então gasto mesmo meu plano de saúde, então estava com a visão embaçada do colírio dilatador de pupila, o que dá uma leve sensação de embriaguez.
Dito isso, vamos ao bucetólogo,

Fui desavergonhada que sou, porque imaginem que depilação e eu não somos amigas íntimas, lavei a buceta (você vai ler muitas vezes buceta hoje e algum outro nome dado a buceta) voltando... vamos colocar esse negócio, dei umas pesquisadas na net, o que só serviu para me deixar muito nervousor, porque cada uma fala uma coisa, daí que minha friend Ellen, disse que é tranquio, tipo dói mas é rápido, pensei então tá.

Não acreditem nas pessoas, elas mentem.
Nesse caso não, mas é sempre bom esse aviso, é útil para a vida!

Cheguei no médico dizendo que sou mais frouxa que blusa de dormir, que sou uma cagona, que não suporto sentir dor, que desmaio, que cago na mesa dele até, se tinha anestesia geral, ele me deu uma olhada do tipo "conheço seu truque" - e explicou em dois segundos o que ia fazer, muito atencioso tirou todas as minhas dúvidas (verdade!) e bom, vamos lá.

Meus exames disseram que minha buceta estava totalmente certificada ISO, sem nenhum problema, quase selo de pureza ABIC.

Adoro essa parte quando eles falam: Por favor, tire só a parte de baixo e coloque a camilosa (nunca lembro o nome) VIRADA PARA TRÁS (pensei, hoje nao vai rolar mão no peitinho pelo visto).

Coloquei a porra da camisola de qualquer jeito porque o cara vai ver meu útero, não há vergonha nessa hora meu povo!
Ele explicou o que faria e que avisaria nas duas vezes que faria o procedimento que me traria desconforto... para eu não me assustar, o que acontece quando fico nervosa? Fumo. Abro o falador, comecei a falar que os canudos eram o maior problema nos oceanos (oi?) e que tinha comprado um canudo de inox, falando isso como quem diz que comprou a última bolsa Channel limitada, o médico me dando a maior trela, niqui começa a abrir a buceta, a minha no caso, com o espéculo e tá que abre, e tá que abre, lembro que pensei vagamente nessa hora que "acho que já tá bom né" - a entendida, e ele pegou uma coisa grande de metal me mostrou e disse, vou medir seu útero para saber sbrubbles... não entendi essa parte porque quando fiquei olhando para o negócio de metal parecia um pouco com o canudo que eu tanto falava, achei que estava alucinando do colírio, em uma coisa non sense, o médico me perguntou se eu já tinha tido cólica menstrual, e eu ahan, se ele me perguntasse se eu já havia pisado em Marte a resposta seria a mesma... ele avisou... você vai sentir um desconforto agora, mano do céu, mano do céu, MAAAANODO CÉU, a dor! Aí quando ia pedir pra Deus me levar... acabou, tão rápido que não deu para dramatizar, sério, ele enfiou a porra enorme de comprida no meu útero, queria bater nele, sei lá, sabia que isso ocorreria, aí ele "mediu" meu útero, acho que ficou satisfeito pois logo depois disse, agora vou enfiar um guarda roupas inteiro na sua xoxota, ou algo assim e eu falei, ahan... e PUTA QUE PARIU! DOEU PRA CARALHO, DOEU PARA ÚTERO, quando novamente ia pedir para o 00nhor ter misericórdia e me levar... ACABOU. PORRA, totalmente anti clímax! Não deu tempo de chorar e eu tinha levado meu lencinho bordado especial para funerais (nem tenho, mas agora acabo de descobrir que quero).

Quando ele tipo terminou sei lá, foi tão broxante, porque disse que era rápido mas quem acredita em médicos?

Ele falou pra eu levantar devagar e quando olhei com meus olhos vesgos e semi cegos ele estava tirando as luvas com sangue (e não coloquei o DIU menstruada porque não menstruava a anos) - então eu falei com a maior clareza para ele "queria ser dessas pessoas que falam não posso ver sangue", ele me deu um sorriso muito estranho (ou achei) mas foi isso, ele me perguntou se tinha levado um forrinho, e fiquei pensando que raios de forrinho, até lembrar do protetor de calcinha e falei AH SIM, e fiquei pensando "forrinho" que nome esquisito.

A camisola caiu antes de eu chegar no banheiro pra me trocar, meu último pensando foi pensar já viu meu útero agora minha bunda, onde fica a dignidade do cerumano?

Até agora minha buceta não caiu, me sinto muito bem.

Agora estou na época das cólicas, informo melhor nos próximos textos.






Hoje é um dia tão bom como qualquer outro para voltar.

Todos os dias eu penso "nossa preciso voltar a escrever"  nunca parei de escrever, apenas de publicar. Escrevo todos os dias, no meu caderno de trabalho, em e-mails para amigas, na minha agenda e na minha mente. Expliquei mil vezes que nao queria expôr as pessoas a minha volta ao ridículo, já que a anos não sou anônima, porém tampouco sou famosa, sequer entre meus amigos.

Depois de pensar escrever em um caderno, repensar, pensei "ah mas que tanto pensas mulher, tu não agrada ninguém nem quando se esforça, pra que se preocupar?"  - depois queria porque queria um blog novo, uma coisa infantilóide, como um brinquedo ou como se uma roupa nova mudasse o dono da mesma por dentro, mas não consigo ainda cogitar o abandono a esse espaço que muito mais me deu que tomou, depois as duras penas aqui escrevo pois o teclado do meu notebook além de não estar bom, está péssimo mesmo, mas está velho o coitado, já aguentou mais batuques que pandeiro na mão de criança.

Não vou fazer um retrospecto, resolvi fazer uma reinserão minha a vossas pessoas onde vou contando juntando o presente e o passado, tudo o que acontece e aconteceu, porque preciso, porque quero e principalmente porque posso.

É um desperdício de talento humorístico não escrever para vocês não contar da minha vida, não dizer que eu sim, continuo uma dura, trabalhando na mesma coisa, vivendo uma vida extraórinariamente comum, talvez eu tenha um pouco de vergonha de contar a mesma coisa de anos atrás que acontece again and again, porém minha vida é assim, ainda...

Resolvi tirar poeira dos sonhos e fiz uns desafios (dos quais venho cumprido, não me perguntem com que força de vontade), e vou como disse, mas a redundância é um dos meus maiores prazeres... reinserir pouco a pouco ou como eu quiser já que escrever é pensar em algo e quando percebo saiu um monte de letras e linhas não programadas, mas ainda gosto de me imaginar uma artista atormentada, porque atormentada já sou então incluir o artista é colocar uma licença poética. Portanto, é isso, aliás é muito mais.


Curtas #1

Amigo do Marcos:


Chega na sauna, e manda um watsapp para a mulher:

Scheyla, cheguei bem. Bj

Chato que a mulher dele se chama Emeline....



terça-feira, fevereiro 20

Texto tá difícil de entender! Aviso logo.

Um texto com muitos parêntese nunca é bom, mas foi esse texto que deu pra parir hoje.



Não temos uma sensação equilibrada para com outro cerumano, normalmente nos sentimos mais ou menos importante que os outros em determinados assuntos.

Aconteceu uma situação na minha vida ontem, bom, vamos por outro pedaço que veio o texto, tudo ou quase tudo que eu acreditava como certo sobre minha personalidade veio ruindo nos últimos anos (o que acho ótimo! Enquanto pessoa, me sinto muito mais gente hoje que uns anos atrás), porém para essa desconstrução, ou talvez com a maturidade mesmo (rá, duvido) é doloroso tomar na cabeça vezes seguidas até perceber que a gente não é melhor que ninguém, todo mundo sabe que não é melhor que outra pessoa, pode no máximo ter conhecimento em um determinado assunto ou tem um talento diferente, mas não o faz melhor pessoa por isso, porque somos todos iguais enquanto base.

Mas é fato que nos sentimos melhor que outras pessoas, ou pior, eu oscilava entre uma megalomania do "isso nunca vai acontecer comigo" com o triste e deprimente "isso acontece o tempo todo comigo".

Me sinto melhor não sendo a melhor, porque isso me faz me esforçar para alcançar algo, mas também me deixa com baixa tolerância para as pessoas que vem atravessando meu caminho, não tenho mais (nunca tive, mas achava que tinha) paciência para achar que o outro está também "em uma batalha interior", "cada um tem seu inferno particular", sei lá, cansei, leva seu inferno pra lá, mas por favor, por favor, não atrapalhe minha vontade de querer evoluir.

Ontem, quando o fio do medo atravessou a espinha, deixou aquela sensação ruim de bolo no estômago, voltei anos na mente, nos sentimentos e só percebi quando já havia colocado a enorme pedra por cima da emoção, pensei claramente e calculei mentalmente se seria capaz de pagar o valor e já sabia que a resposta era não.

Esse é um dia, que quando olhamos para trás, do futuro, sabemos que naquele instante, tudo já havia mudado e que a partir dali, somente a frieza de quem já sobreviveu mais vezes que gostaria sabe.