quarta-feira, abril 1

Quem sou eu?

Nesses dias de absoluta confusão mental, fiquei me perguntando quem eu sou, sem chegar a nenhuma resposta conclusiva. Gerou uma série de textos sem pé e nem cabeça, mas que na minha cabeça fazia todo sentido no momento que escrevi.
É uma série um pouco longa, mas lê quem quer. Ou não.


Quem sou eu?

A única resposta que eu cheguei é que não sei absolutamente quem eu sou. Não é uma simples indagação sobre a minha personalidade e sim sobre o que mora mais profundo, se é que mora alguma coisa lá.

Eu sei que não sou uma vendedora, isso eu me tornei. Não posso ser aquilo que eu quero ter porque isso é o que eu terei, não o que eu sou. Não sou meu corpo ou meu cabelo, porque isso é mutável. Não sou meus sonhos porque esqueci o que é sonhar.
Não sou minhas roupas, não sou meu emprego, não sou as bebidas que bebo, não sou as discussões que me meto. Não sou os livros que leio, as músicas que ouço. Tudo isso apenas é uma vírgula daquilo que me tornei, não daquilo que eu sou.

Se existe uma essência, algo mais obscuro, isso eu também não sei. Aliás eu nada sei.
Se alguém me perguntasse o que eu sou uns dias atrás, eu talvez diria que sou uma vendedora, mas e se eu mudar de profissão, eu serei outra pessoa?

Se eu sou os meus amigos, ou minhas companhias, não entendo, porque eu não me conheço, como conhecer outras pessoas? Que obviamente também não sabe quem são.
Se eu disser que eu sou minha missão no mundo, fode tudo de vez, porque não faço idéia do que eu vim fazer aqui.

Quem sou eu? II

Se você me diz para voltar ao fundo da minha infância e buscar o que eu queria ser, fazer. Eu queria ser tudo, mas não queria ser nada.

Queria ser rica para comprar muitas bolas de gude. Aquelas bolas imensas e coloridas e jurei que quando fosse adulta, e tivesse dinheiro compraria aquelas bolotas com cores dentro.

Eu virei adulta e nunca comprei as bolas de gude. Eu nunca esqueci as promessas que fiz para mim, mas não comprei as malditas bolas de gude. A única coisa que eu fiz foi tentar provar para os outros que poderia ser aquilo que não queria me tornar. Fiquei superficial, sorrio sem sorrir, trabalho sem trabalhar, me perco nos meus devaneios. Acho a vida colorida, mas só sei falar do cinza. O mundo ficou sem cor, sem cor e sem amor.
E eu me tornei isso, uma pessoa que não sabe quem é.

Quem sou eu? III

Também, a quem importa quem eu sou? As pessoas acreditam que eu seja exatamente aquilo que elas acham que sou, se eu sou um espelho delas, posso me tornar qualquer coisa. Se eu sou o espelho delas, então elas são meu espelho? Porque não me tornei as pessoas que admiro? Porque eu tenho que ficar respondendo as minhas perguntas com mais perguntas? Porque eu quero tanto saber se eu sou alguma coisa se na verdade nem eu talvez me importe?

Se eu sou algo mutável, então posso escolher o que sou ou serei, mas a grande pergunta não é quem eu serei e sim quem eu sou, hoje. Hoje não sou nada, talvez um pingado de histórias aqui e ali.

Quem sou eu? IV.

Se eu já cheguei a conclusão que eu não sou nada, na verdade então eu sou aquilo que eu não fiz. As lágrimas que eu não chorei, onde elas foram parar? Eu sou os amigos que eu nunca tive? Ou o dinheiro que não existe? E as pessoas que eu repreendi mentalmente sem que elas percebessem, será que elas de alguma forma... sabem? Será que elas sabem que eu não sou ninguém? Será que eu realmente existo? Porque eu penso tanto em coisas sem sentido? Porque mesmo perguntando tanto minha mente não acha uma resposta? Porque se tornou tão necessário saber quem eu sou?

Se eu morrer amanhã, como as pessoas me descreveriam? Uma pessoa engraçada? Uma pessoa engessada? Cheia de manias xexelentas? Egoísta?

Se eu morresse hoje, o discurso seria: Aí jaz uma pessoa que não sabia quem era.
Eu posso decidir quem eu sou? Será que é como escrever um perfil no orkut?
Eu sou uma pessoa amiga e sincera. Não, eu não posso ser só isso. Eu não sou amiga dos meus inimigos, então não posso me classificar como se isso fosse uma verdade imutável.
Posso imitar as pessoas, mas daí eu serei elas e não eu. É melhor ser alguém do que ninguém?
Enquanto isso, sei lá, eu continuo por aí procurando quem eu sou.

25 comentários:

Andarilho disse...

Você é a Cristal. =P

No dia que vc souber com certeza quem é, a vida vai perder a graça. Ou vc vai estar morta, hauhauaua.

Cristal - a louca. disse...

Andarilho: Provável eu descobrir, soltar um Ráaaaaaaaaaa e cair dura antes de contar para alguém meu feito.

Beijundas ^^

Messias Indeciso disse...

Nunca sabemos ser o que queremos. É sempre uma luta de você contra você mesmo...só dúvida de saber quem venceu.

silvakov disse...

Quando eu estava no ensino médio, decidi q, assim q fizesse 18 anos, iria na rodoviária comprar uma passagem de ônibus pra buenos aires. Tive essa idéia apenas pq vi q existia essa rota de ônibus (se não me engano, rio de janeiro - buenos aires, mas passa na rodoviária de curitiba)... Lembrei-me perfeitamente da minha promessa aos 18, mas não executei.
Um dia, porém, aos 22, eis q surge a oportunidade ideal: férias de 30 dias, um pouco de dinheiro e uma fagulha de memória... meu pai falou pra olhar passagens de avião, e descobrimos q a diferença entre a passagem de ônibus e a de avião não era mais q 15 reais. Mas o q importava era o sonho... fui de ônibus, voltei de avião. 4 anos de atraso, mas eu fui.
Ainda não fui pra europa, é o próximo sonho...
Talvez vc deva comprar umas bolinhas de gude, mal não vão fazer :)

Peônia, uma flôr disse...

Você é alguém que não aceita ser igual aos outros e isso já é um bom começo!

Tem pessoas que dizem que a cada dia, somos um novo ser, porque nos construímos diariamente. Eu concordo muito com essa teoria...

Não se cobre em não achar resposta, porque se você encotra-lá, com certeza amanhã ela não será mais uma verdade.

Quem é Peônia? Quem é Cristal? Quem é Andarilho? Quem é Messias Indeciso? Por esses pseudônimos já tem resquisios de cada um de nós...

Mas me diga Cristal, será que é importante mesmo sabermos quem somos?

Eu não te conheço, eu só observo seu blog, e consequentemente, observo você, desse pouco tempo, posso afirmar que você é muito autêntica e isso faz de você uma pessoa muito divertida.

(espero que você esteja bem!)

Beijossss

Meu infinito particular disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Meu infinito particular disse...

Amiga, desde semana passada que passo pelo mesmo dilema: Quem sou? O que faço aqui nesta terra de pessoas estranhas?
Então, cheguei a conclusão de que: "Tudo que sei é de que nada sei!" E assim, a vida simples e singela continua seu percurso até chegar ao seu destino final,assim, finalmente saberemos quem somos!
Posso ser o imperador em meus sonho, já que em minha imaginação, eu sou o dono; posso ser uma borboleta para voar em minhas lágrimas ou até mesmo ser Eu no meio da multidão, posso o quero, pois sempre serei ou seremos um Ser em plena mutação!
Essa indagação, creio que todos os Seres Humanos um dia se fazem, nunca terão a resposta de quem somos nesta vida terrana, pois tudo o que sabemos é que nada sabemos!
Bjinhos amiga!

isabela. disse...

mesmo sem te conhecer, poderia dizer que se você morresse...o mundo ia ter uma pessoa autêntica a menos.

Lília disse...

Sabe qual é nosso problema? Ser crítico demais! Passo pela mesma situação! A gente fuça, fuça as explicações e não acha merda nenhuma!
Aí, sabe o que acontece?
A gente enlouquece!
VC já viu algum louco saber quem ele realmente é?

BETA disse...

Indagações à La Charlie Brown...E aí minduin? Quem sabe quem é está normalmente enganado. Ninguém sabe o que é ao certo.Temos fragmentos do que somos ou que podemos ser. Mas eu acho que você é... incrível!!!
Beijos!

MARCOS disse...

nossa! tá parecendo argumento para a explicação final do lost! rárárá!!!

agora, sério, fale-me mais disto...

PS 1. somos o que pensamos (buda)
PS 2. eu gosto de você, e para mim você é a Loquita!

Bjundos

Cristal - a louca. disse...

Messias: Isso é legal rs.

Silvakov: Legal sua história sobre a Argentina, qualquier um te chamaria de doido, mas quem se importa? Acho mesmo que vou comprar umas bolas de gude, com certeza, mal não fará.

Peônia: Falou muito bonito, sério. As respostas de hoje não serão as mesmas de amanhã. Nem nós, talvez eu não seja assim tão autêntica, eu só falo sei lá o que me vem a cabeça rs. Eu estou ótima, pode acreditar.

Amigo: Fio eu não sei exatamente quem somos, mas ó quando estamos juntos fazemos um estrago ein!!!!

Isabela: Com certeza apareceria outra pessoa mias para ficar no meu lugar rs.

Lília: Muitas críticas, as que destinamos a nós e as que destinamos aos outros, quando iremos relaxar e curtir um pouco mais? Eu achoq ue os loucos são as pessoas mais sensatas que existem, eles pelo menos conseguiram exteriorizar as loucuras rs.

Beta: É isso mesmo, aquela coisa bem sem noção que realmente faz pensar que na verdade, isso importa tão pouco quando temos tanto a ser feito. Obrigado pelo elogio, incrível é você. Voltei até a ler "Mulheres que correm com os lobos por sua causa".

Marocs: Se vc gosta de mim, é isso que importa, acredito nessa frase de Buda, afinal se penssamento levam a atos, atos levam a ser aquilo que fazemos e somos.

Uma beijoca para vocês :)

Nat, disse...

blablabla. É o tipo de resposta que a gente não quer ouvir de ninguém, pois vai acabar ouvindo na verdade, o que as pessoas acham que somos. E raramente a gente gosta dos achismos dos outros a respeito de nós mesmos. Eles podem ser mentirosos ou simplistas demais, no nosso ponto de vista.
Eu tbm não sei me definir e sinceramente, se conseguisse, corria o risco de me entediar depois de uns dias (igual a gente enche o saco do perfil idiota do orkut!) Baseada nesse monte de bobagem (e outras que ocupam minhas caraminholas), eu não acho que a gente é nada. A gente está.
Beijus da amiga indefinida (também)

Gerundino disse...

Doente.. isso é o que você é. hahahaha, brincadeira ou não? rs

Esse post foi primeiro de Abril né?

Problemas de identidade aconteçem com todo mundo.. mas uma hora você se acha, td mundo se acha.

JM disse...

Você é você, eu sou eu, homem é homem, viado é viado e macaco é macaco...

Filosofando Falcão o rei do Brega !

rs

Não quero que você descubra quem você é... se não perde a graça nossas conversas entre cervejas e vodkas !

Bjotas !

Nayara disse...

talvez seja uma mistura de pensamentos de um mundo nao encontrado ainda..O seu ;p

Peônia, uma flôr disse...

Esse inúmeros comentários já mostra que te adoramos sem ao menos vc conseguir se definir...rs!

Brindemos a nós amiga! Quando quiser chorar as pitangas, entre e sente, porque também tenho muito que falar!

Beijossssssssss

Encosto de Betty Davis disse...

Você não é, você está. Só os objetos são.

Mme. Eni Gma disse...

caramba, quanta filosofia de vida ai nos comentários. rsrs

aquelas bolas de gude grandes e coloridas se chamam: carambolas (pelo menos na minha terra). rsrsrs

bom, você eu não sei mas eu sou a Eni, logo, PORRA NENHUMA, mas tá bom assim, tenho medo de me encontrar, de bater de frente comigo mesma, com certeza cabelos vão voar e a treta vai ser feia.

bem básico: VOCÊ É O QUE VOCÊ COME. =P
uma vaca? huahauhaua

brincando baby... pare de pensar nessas coisas e viva da maneira que você GOSTA de viver, sendo assim serás você mesma, mesmo que você não saiba descrever quem é essa pessoa. aliás, sei quem é você sim, uma das pessoas mais importantes da minha vida e isso basta. =P

te amo te. =********

Verena disse...

Me faço essas mesmas perguntas... Tenho um diploma de engenharia civil e toda vez que olho pra ele sinto vontade de soca-lo no cú de quem me levou a busca-lo. Hj sei que devia ter feito outra coisa, na verdade descobri que não era aquilo que eu queria no primeiro dia em que pisei naquela sala de aula, só que não tive peito pra sair correndo de lá e falar para os meus pais que não me identificava com nada daquilo...hj com 24 anos acabei de ingressar em uma carreira pela qual não sinto o menor tesão, e vai ser assim até o dia em que eu resolver meter o pé nessa bagaça toda!

Lily disse...

Acho que o fundamental você já fez! Vc já viu quem você não é! Acho que talvez a grande busca da vida da gente é justamente pela nossa própria identidade, mas é utópica porque o que nós somos se constrói a cada momento!

Beijos!

Ana Cláudia disse...

Jáz aqui uma pessoa divertida, que consegue fazer piada das sua próprias "desgraças" e alegrava os meus dias alimentando esse maravilhoso blog.

Ricardo Emilio disse...

Faço as palavras da Ana Cláudia ai em cima, as minhas.
Não precisa ser a pessoa mais importante do mundo, phD em um assunto, heroina,... Para mim, já basta o que você me proporciona no seu blog.
Agora, para você, acho que basta correr atrás do que você gosta (se tem algo q gosta), o q vc é, é o resultado do que vc corre atrás.

Meu infinito particular disse...

Verdade, fia!
É estrago fora do comum....
bjinhos

Raposa disse...

Posso não saber quem você é exatamente, nesses padrões que você determinou, mas isto não impede que eu goste de você!

Peraí... ficou muito melacueca... vou reformular...

Ae, não te saco, mas sei que tu é quem tu é, pois se não fosse estaria te sacando, daí já sabe né? Mó saco!

... Ainda não é isso...

Não sei quem você é, mas não precisa mudar que tá ótimo assim!

Quase isso, e como não tenho mais "boas idéias" (fora o fato de que nunca tive mesmo) paro aqui...