segunda-feira, maio 31

Stress? onde?

Chega uma hora que temos realmente que parar para ver se é realmente importante viver só apagando incêndios, a cobrança no meu trabalho é imensa, de todos os lados e não é só uma questão de metas e valores e sim de desenvolvimento do cliente e blawhyskas coisas da empresa , não, não é fácil, mas se fosse não precisariam de mim, certo?

Quando você trabalha em um projeto “experimental” como eu você tem obrigação de dar certo porque tem muita gente envolvida, money, e cabeças grandes...
Semana passada eu estava em síncopes nervosas porque tudo errado aconteceu, de material a procedimentos, até dor de barriga, de cabeça, crise de ansiedade, de raiva, de quase choro, de caganeira, de pelanca.

E as metas, os números a justificativa de um salário exorbitante (rá) e toda uma aura de estrelismo porque TEMOS que vender valores altíssimos porque alguém decidiu. Correr atrás? Corro na frente! Vender? Sei. Mas conseguir falar com mil clientes ou saber de cabeça quanto aquele determinado comprador comprou nos últimos meses, não dá!

Pensei que pode pegar fogo aqui (e vai pegar, umas três ou quatro vezes por dia) que darei meu máximo para resolver, mas sem me estressar ou morrer efetivamente. Sexta-feira aconteceu uma bosta realmente muito fedida, um problema entre eu o fornecedor, o material e o tempo, o cliente aqui mais de três horas e não conseguíamos resolver efetivamente o problema do cara, depois de um empurrar para o outro e o outro para o outro e a pica entrando o cliente reclamando, tudo esmerdalhando, eu fui empalidecendo, achando que depois daquilo nem Jesus me salvaria de um ataque do coração, uma boa alma vendedora me falou 'ó seu fulano morreu aqui e só mandaram uma coroa de flores, no outro dia tem outro aqui no seu lugar” aí tipos bateu a ficha. Não que eu não soubesse disso, mas um dia um problema foi pulando em cima do outro até que fiquei estressadérrima, pálida e reclamona.

Coitado do meu namorado, que tem que ouvir eu falando e falando e falando e reclamando e reclamando e reclamando, foda.
Aí que cheguei hoje, último dia do mês, a meta não batida, coloquei minha melhor máscara de garfield e pretendo ficar com ela até o final do dia. Nego taca bosta, taca o cu da mãe e não sairei dessa minha calmaria porque eu morro, eu engordo, fico sem comer, endoido e todos os dias são “iguais” tipos, se os problemas acabassem com todo o stress ou fosse uma coisa sazonal, tudo bem, mas não é. Então o negócio é trabalhar, mas sem vender a alma para o cão, porque no final os chefes, os colegas estão todos rindo e eu morrendo de tudo. Ah não é justo, então um meio foda-se e vamos voltar ao trabalho.




Fudido sim, mas de peito estufado e lindo olhar no horizónte...

6 comentários:

NLemos disse...

Da hora.

L disse...

Como sempre, até nos momentos de stress, dor de cabeça, barriga vc consegue colocar humor em seus textos...Boa sorte aê...maismenos sei o que vc ta passando!!

Bjão!!

Lua Nova disse...

rsrsrsrrs...é foda, mas vc consegue fazer parecer engraçado. Você chegou a conclusões inteligentes. Agora, ponha em prática de verdade e não deixe o turbilhão do dia a dia te envolver. Uma vez eu tava no auge do stress, arrancando os cabelos pra tentar resolver um problema no trabalho, todo mundo tirando o corpo fora e eu correndo atrás, quando alguém me perguntou: "E se vc tivesse morrido há 2 dias?" Bem, se eu tivesse morrido, as coisas seriam resolvidas, e eu babau! Ficaria, talvez, só com a tal coroa de flores... É minha amiga, trabalhar sim... se matar por isso, jamais.
Beije muito, curta seu namorado porque vc sabe que o que a gente leva da vida é a vida que a gente levou.
Uma boa semana pra vc. Seja persistente e se cuide.
Ainda to te esperando no meu blog.
Beijos.

Andarilho disse...

Que foda. Mas acredite em The Secrets e tudo vai melhorar... Ou não!

D. Strudel disse...

CA-RA-LI-O!!!!!!! Porra mulher, finalmente! NADA paga sua saude física e mental.

"laissez faire, laissez aller, laissez passer"

Sorte!
beijos

BETA disse...

Essa é a chave do bem viver, minha amiga... não se estressar e entender que as coisas passam e vc fica. Professor tb é uma raça estressada, e quando dezembro chega, muda a turma, as vezes a escola, a gente zera o painel e toca a vida pra frente... vai fazer o q?
Enquanto isso vamos vivendo.
Beijo grande, e vê se toma uns chazinhos pra se acalmar. Ou uma vodka dupla.