sexta-feira, agosto 27

Maratona da Escrita

Fiz "vestibular" na terça-feira, aquele vestibular difícil e problemático que consiste em escrever duas redações.
Difícil, penoso... (mas eu travei durante um minuto inteiro!)
Por isso peguei a "mania" de tentar escrevrer umas redações. Um monte ficou incabada, cansaço.
Mas o mais legal foi o dia que peguei para escrever sobre qualquer assunto ou palavra que me viesse a cabeça.

Eu deveri fazer uma "redação" com uma palavra.

Resolvi enrolar aqui no trabalho e escrever qualquer merda só pra passar o tempo exercitar a criatividade.

Vamos falar sobre o... grampeador.

Tem algo que acontece toda vez que acaba os grampos, ao invés de abrir e colocar mais, você tenta grampear mais três ou quatro vezes, fazendo aquele plec plec plec, só para se certificar que o grampo se foi mesmo.
Quando eu estava na quinta série, era uma puta ameaça dizer que iria grampear alguém e teve mesmo um delinquente que tascou uma grampeada na orelha do coleguinha da frente, todos tinham medo do grampeador. Mas tinha um outro objeto torturante e muito chique que naquela época achávamos que poderíamos machucar uns aos outros, esse cara era o compasso. Se você tinha um compasso todo de metal, de uma marca específica você era o cara.
Todos tinham compassos vagabundos, mas não me lembro que nunca ter usado realmente para algo útil, só aprendi para desenhar esse troço abaixo:




Mas teve algo que aprendi que foi muito útil na área de vendas, quando alguém quer adulterar um pedido, muitas vezes é só modificar, imprimir e colocar no lugar do seu, dependendo de onde se trabalha é perfeitamente possível. Um "truque" que aprendi é sempre grampear duas vezes e bem aleatório, um quase no meio da folha, como a maioria das pessoas grampeia do mesmo jeito, se alguém modificasse você só de olhar saberia se era o seu pedido ou não.

E quando você tem que grampear aquela maçaroca de folha e fica forçando, forçando e estragando vários grampos e achando que se colocar mais força irá funcionar?

E quantos dedos já furamos tentando tirar os malditos grampos das folhas? Meu Deus! É enlouquecedor.

Mas pior ainda são os clips, mas esse é assunto para outra redação.


Ou não.

6 comentários:

Tititi disse...

Exercitar é bom! Mas ando exercitando a preguiça ultimamente...
O seu clipes me lembrou de uma história de infância, que acabei contando no meu blog! Passa lá, cacilds!
Bjokas!

Marcos Satoru Kawanami disse...

vc é intrigante. esse troço aí é uma rosácea.

Gerundino disse...

As vezes a dificuldade de escrever sobre um assunto simples me impressiona, visto que quando estamos inspirados vai página atrás de páginas nessas porcarias de blog, hahahhaa.

Fernanda disse...

chorei.
.
.
.
.
.
.
.
.de rir.

Dani (ela) disse...

ixpia,

filha, escrever sobre grampos é... é... só pra vc mesmo!

;)

texto mára!

Colombina disse...

Pra mim, nada era mais aterrorizante nos tempos de escola do que os ESLÁSTICOS DE DINHEIRO.