quarta-feira, março 23

Desabafo.

Minha vida anda em paralelos.

Tenho todas as áreas subdividas, trabalho, casa, namoro, família, amigos, faculdade, uma área está sempre perdendo um pedaço para a outra, todos tem seus núcleos e normalmente eles não se encontram, é um tanto difícil manter tudo sobre controle, por isso talvez eu tenha tanto essa necessidade.

É como se eu fingisse não saber algo que sei, mas eu sei que sei e sei o tempo inteiro, é por isso que quase nunca reclamo, mas eu morro de medo de ficar resignada, tenho medo de virar outra pessoa, tenho medo de me perder, de me esquecer, de me anular, tenho medo de pensar "de repente se passaram anos."

E de repente lá estava eu, dramatizando tudo, fazendo novela, escrevendo o final, afinal, eu também gosto de circo.

Mas achei melhor calar fundo, respirar dez vezes seguidas, sorrir e esquecer, refiz a maquiagem, colei um riso, fui pegar um café.

Tenho uma impressionante capacidade de estar sempre bem, mas sei o preço que me custa.

Nenhum comentário: