domingo, setembro 4

O descobrimento da pólvora do desenvolvimento pessoal.

Já fui muito mais determinada do que hoje, mas não chego a ser uma pessoa inerte, o problema é que quero fazer tudo, ser tudo, ter tudo, com uma fome incontrolável e um fogo que se apaga mais rápido que deveria, porque começo e logo me distraio em algo de super importância que tenho que fazer junto, tipos quero parar de fumar em uma crise pessoal, quero emagrecer, ser a melhor no traballho, planejar o futuro, estudar, comprar tudo o que meu dinheiro dá, aprender chinês, e corro corro e quando vejo nada terminou, por falta de foco, não de movimentação e olha amigos minhas aspirações são altas e vivo em uma constante insatisfação para ver o que dá para melhorar, na minha opinião, tudo.


Vivo em uma pressão que só minha cabeça e meus músculos sabem, but, andei matutando na última semana inteira, que tem algo errado e precisava descobrir o que era, peguei meu caderno de estimação e comecei a escrever, tudo o que passava pela cabeça, te digo, melhor exercício ever. Daí tive um momento eureka qualquer e comecei a escrever tudo o que queria ter/ser/fazer compulsivamente, todas as coisas que já passaram pela minha cabeça de tocar guitarra a ser famosa. Despois de escrever não sei quantas folhas, saí riscando aquilo que não queria mais, que foi ficando pra trás. Depois li minha lista robusta e fiquei matutando aquela merda de lista. Tipos, cheguei a conclusão simples que muita coisa ali nunca virou realidade por simples falta de planejamento e quando digo planejar não é escrever em um papel, mas verificar as possibilidades, custos, tempo empregado, o que pode dar errado e estipular uma data para fazer. Nunca que consiguirei fazer tudo aquilo junto, rola de parar de fumar, aprender a dançar e ganhar uma cifra x por mês, fora outras coisas.

Numa segunda epifania (porra foram algumas esses dias) pensei o quanto algumas dessas coisas eram realmente importantes para mim e estavam esquecidas, daí tive a brilhantíssima idéia de separar as coisas e colocar todos os sentimentos que eu teria quando terminasse determinada "tarefa". Tipos, separei profissional, mente, corpo e essas bobajadas.

Legal né? Depois a verdadeira merda, saber porque queria tanto essa ou aquela coisa, se era minha vontade, alheia, orgulho, porque todo mundo tem/faz, aí deletei mais algumas coisas, das que sobraram ficou o seguinte: O quanto quero essa merda? Muito? Mais ou menos? Tô cagando?

Dessas todas separei em partes e voi lá, separei de três em três, porque algumas coisas puxam as outras como "ir a academia, conseguir correr 10 minutos sem morrer, ficar com os braços definidos".

Feito isso, lido, relido, agora vem a parte mais foda, a ação para tudo isso virar realidade, mas uma coisa te asseguro, se você é como eu, primeiro comece a destrinchar a porra toda, ache os motivos, depois faça (essa é a segunda parte) um plano detalhado para chegar aonde quer e comece a andar, mas depois que descobrir que bosta de direção vai seguir.




3 comentários:

Karina disse...

KKKK Adorei, viu..òtimo planejamento, mas o grande problema é que eu não tenho muito saco de fazer lista e tals...Mas vou tentar e blogar...Beijo

'Lara Mello disse...

Viu, você já deu o 1° passo! :)

Ana disse...

Afff.. fico lendo seus posts e às vezes acho que vc é minha irmã siamesa, ou seja, nos lascamos, mas somos incríveis - rsrsrs