segunda-feira, setembro 5

Segredos que a maturidade me trouxe.

O que você faz por uma pessoa, seja ela quem for, namorado, amigos, parentes, não te dá a garantia de que eles farão a mesma coisa por você. Na verdade não existe a garantia sequer de que eles se importam e não deveríamos fazer dramas sobre isso, afinal, cada um escolhe a vida que quer e não nós não temos realmente que fazer nada, nem mudá-los, nem julgá-los, nada.
 
Uma das coisas que mais falei nessa terapia é a minha incapacidade de deixar as coisas como estão ou deixar vir o que vier, porque estou sempre querendo saber, esclarecer, pertencer, daí falei com ela o quanto estava cansada de arrastar essa mochila de pedra, do quanto estou disposta e ninguém nunca está, ou só está quando quer, sabiamente percebi sozinha que quem deve fazer minhas vontades, me amar e me colocar a frente de tudo sou eu, não os outros, niqui vem na mente aquele velho conselho vovozístico do "se você não se gostar, quem vai?"
 
Amor próprio deveria ser vendido em farmácia.

3 comentários:

'Lara Mello disse...

É mermo!

Mulheres Neura disse...

E se nao vcender manda todos se fud... porque sempre deves pensar primeiro em ti e só depois nos outros... beijos da D. Patifona e Patifinha revoltados

Madame disse...

Agente tem mania de pensar nos outros e deixar o que a gente quer de lado, com o tempo percebemos que nao valhe a pena.