sábado, dezembro 17

Das coisas que se esvaem

Ontem senti uma necessidade enorme de ficar sentada no banco da rodoviária por todo sempre, sentei longe e acendi alguns cigarros, olhando com os olhos cegos, parados, assistindo.
Não conseguia me lembrar das coisas, como se de repente me desse conta que estava ali a minutos, horas, como acontece como os loucos nos filmes.
Revivi vários momentos da minha vida em flashs difusos, como os drogados que já perderam a percepção da realidade, naquele momento, tudo o que eu me apegava era se tinha dinheiro para voltar para casa, e se iria perder a minha bolsa, de tudo o que era importante na minha vida, minha bolsa significava a última coisa que não poderia perder ontem. E em um dos acessos mais loucos da existência eu pensei que estamos perto do natal, que mais um ano se finda, que meu aniversário estava perto, e que eu não dou a mínima importância para isso, mas eu não queria ficar triste. Porque minha tristeza é daquelas fundas que nunca se apegam ao momento presente, revive todas as tristezas para que elas juntas façam algum sentido. E eu quis comprar sapatos, eu quis rir risos alegres, eu quis cozinhar, eu quis as coisas simples porque sei que elas que me fazem felizes.

Foi quando ontem eu quis me abrir, eu quis falar, e as palavras morreram na garganta, com o cansaço dos que lutam a guerra contra o invisível, e resolvi só tomar um remédio e ir domrir.

Porque me lembro agora que só escrevo merda, faço merda, que sou invisível, que sou só mais uma, que sou só, só eu.

4 comentários:

'Lara Mello disse...

Olha, antes de ir no banheiro se matar, preciso te dizer: Você é uma das pessoas que admiro, fico toda boba de ter contato com você, acho lindo a mulher que você é, de entender e ter prazer no seu trabalho.. Não desisti não, tá? Fica bem =)

Krollll disse...

Vou te dizer que isso faz parte... esses momentos melancólicos, meio loucos em que a gente questiona tudo, lembra tudo e sofre com a dor de tudo junto...
Mas ó... tu é uma pessoa INCRÍVEL, e de verdade... acho vc uma pessoa admirável, pq tanta gente se fodendo por aí na vida, mas ler vc dá a sensação de que tudo faz parte, e que tudo passa e a gente supera!
Força aí, muiééé!
;)

Madame disse...

Nao se mata nao, como ficarei?
Voce é especial, e toda vez que voce fala que senta sozinha pensasndo na vida com um cigarro no dedo eu me identifico, pq faco isso, e acho isso totalmente normal. Todo mundo tem problemas, uns mais cabeludos que os outros, mas tem...assim é a vida. Tem dias que eu ouço uma musica meio fossa e ja comeco a chorar, mas depois vem meu noivo e fala que me ama ai tudo melhora.

Tamo junto.

Beijos

Cy disse...

Alma e inquietude de poeta......