domingo, março 11

Coisa doida de doida

Hoje me vi em um dia de fúria, juro que seria capaz de sair correndo atropelando as coisas... caso soubesse dirigir e tacar fogo na casa, gritar com todo mundo e sair quebrando tudo com minhas próprias mãos, mas eu sendo eu mesma, só fiquei fumando e olhando pro horizonte me perguntando as coisas sem chegar a nenhuma resposta.
A raiva cega, o coração que aperta, mas eu sorri pra minha mãe e disse "está tudo bem comigo" como sempre fiz.
As vezes a maior dificuldade não é fazer diferente, é fazer tudo igual, em uma aceitação calada sobre as coisas que ninguém vê, nem mesmo um balde cheio do meu sangue bastaria.

Estou cansada.

Nenhum comentário: