sábado, novembro 24

Muitas coisas.

Tenho uma ansiedade doente, uma necessidade absoluta de resolver as coisas, denominar as situações, destrinchar os problemas, encher minha cabeça de preocupações e coisas do gênero.
Percebi que muitas coisas não estavam andando como eu queria, quando peguei meu caderno, fui pensando, pensando e acabei percebendo que não tem nada de tão extremista que não pode ser resolvido.
Dívidas, problemas nos relacionamentos e responsabilidades não é uma exclusividade da minha vida, ter coisas e situações a resolver, uma vida corrida, mudanças de emprego de estado, não é uma coisa que aconteceu só comigo.
Depois de uma análise fria sem o "jogo do contente" percebi várias coisas boas que aconteceram nos últimos tempos.

Eu tenho um emprego concorrido que nem tive o trabalho de arrumar porque foi indicação do dono da minha antiga empresa. Ele disse "ó essa menina é boa, pode fazer uma entrevista com ela?" e assim arrumei meu atual emprego. E se estou dura foi opção e olha que eles me pagam  razoavelmente. Tem muito mais a vez com meu aluguel alto, consumismo sem controle do que o que recebo em si.

Meu apartamento está totalmente montado, quase arrumado, e tem coisas aqui que juraria precisar de anos para conseguir.

Moro em um lugar seguro, sem goteiras, meu apartamento não dá defeitos, bonito e Minas é lindo, apesar de eu não ter tido tempo e oportunidade de conhecer mais profundamente.

Meu corpo dá umas retretas porque ando somatizando várias coisas, mas funciona até bem para a quantidade de nicotina e comidas porcarias (que já melhorei bastante).

Consegui com meu relacionamento ter um crescimento de vida-espiritual sem precedentes, apesar de muitas idas vindas, brigas, tenho que agradecer ter um amor dentro do coração, mesmo que tão imperfeito, é o certo pra meu crescimento, no dia que não precisar de mais nada disso, simplesmente pararei de atrair pra mim certas situações com ele, Marcos acaba sendo meu espelho, onde sou obrigada a olhar todas as minhas imperfeições pelos olhos de outra pessoa. Somos tão diferentes e tão parecidos que até nossos problemas se cruzam, tivemos uma história diferente e parecida, e hoje pagamos um preço altíssimo por termos escolhidos ser "fodinhas" em certa altura da vida. Ele é tão bom quanto eu em vários aspectos e tão péssimo e horrível igualmente a mim.

Descobri enfim depois de muitas marteladas da Alba que tudo está no lugar certo mesmo que não concorde com isso (mania de controle? mágina¹)

Minha mãe tem sido um anjo, discreta para dar palpites, como se estivesse vendo tudo de um plano mais largo, enquanto eu permanceço com uma visão estreita, infelizmente. Se falo com ela "o namoro acabou prasemprenuncamaisquerovê-lo" ela fala: vocês vão voltar, é assim que tem que ser por vários motivos blablabla com aqueles olhos de bruxa dela.

E enfim descobri que realmente vim por minhas pernas e vontade, e que cabe a mim fazer dessa escolha um crescimento para todos os lados (não falo do namoro porque aí é 50% de cada) não ficar amaldiçoando meus dias, minhas escolhas como se fosse obrigada a ser a pessoa certa, fazer escolhas certas, fazer tudo certo todo o tempo.

Tenho que cuidar da minha cabeça, porque acabei dessarumando meu equilibrio tentando provar pra mim que poderia ser a dona do mundo, arrumei achaques, depressão (ainda que breve) subiram carências de um passado não enterrado e coisas que eu gostaria mesmo de ter esquecido.

E tive diversos insights de como queria que fosse minha vida, minha liberdade, minha criatividade e cheguei (até que enfim porra) no ponto onde estou podendo começar a criar minha nova vida. Descobri que sou realmente boa no meu trabalho novamente, voltei a escrever, voltei a pensar em coisas mais amplas do que "preciso arrumar dinheiro pra comer" como disse isso não é exclusividade minha e não posso fazer disso esse peso terrível que me obriguei a carregar.

Quero que minha vida se encaixe dentro de mim novamente, que meu relacionamento não volte a ser o que era, (estamos engatinhando muito amedrontados pelos últimos acontecimentos - muito ruins) mas que possa ser algo muito maior, que minha casa esteja bem cuidada como meu corpo também, que meu trabalho me dê prosperidade que eu possa pagar minhas dívidas, que eu possa tirar minha carteira de motorista  e voltar para a faculdade, comprar meu apartamento e fazer mais outros planos, muito maiores.

Não estou feliz, mas estou caminhando. Isso é mais importante que ficar sentada esperando a morte me pegar.






2 comentários:

iILÓGICO disse...

você existe?

Beatriz disse...

É isso Irmã...
Simplesmente complicado, mais necessário!
E realmente TODOS nós passamos por várias dificuldades...Diferentes sim umas das outras, mas todas muito complicadinhas.
O negocio é ter consciência de que TUDO É PERFEITO por mais feio que possa parecer.
Temos uma coisa que é MUITO especial... Temos um FAMÍLIA LINDA que nós ama muito e que está SEMPRE ao nosso lado. Isso já é uma Maravilha que nem todos tem.
Te Amo cada dia Mais, e ver seu crescimento, mesmo que passando por tantos autos e baixos me faz sim , MUITO FELIZ...Estou, sempre estive e sempre estarei ao seu lado...
Que Deus e Nossa Senhora continue sempre a te abençoar e que seus guias te orientem de mareira fácil de compreensão inicialmente.
Beijos Meus e de Sua Afilhada que Já te Ama muito tb.