domingo, novembro 18

O grande eu adormecido - Publicando posts que nunca viram a luz do dia.

Hoje especialmente hoje, dia do meu aniversário, senti uma enorme vontade de gritar, gritar que eu existo, que eu amo a vida, que tenho sentimentos, que guardo calada toda a raiva de anos.
Gritar que sou livre, que a vida bonita, que crio minha vida e que não guardo tantos ressentimentos.
Quis gritar para ouvirem que não ligo para injustiças, que não ligo para a maioria das coisas, hoje especialmente quis dizer o que penso, o que penso ser importante!
Hoje eu quis parar de correr, hoje quis ouvir minha voz, minha respiração, quis parar de pedir desculpas, hoje quis literalmente que o mundo parasse e todo mundo se danasse!
Hoje quis gritar, um grito limpo, dos que tem a guerra cega contra a mediocridade, para os que lutam por uma felicidade que existe sim.
Hoje quis porque quis não esconder o sorriso!

Hoje foi um dia especial, que meu eu dorminhoco despertou. Despertou para me mostrar que ter uma festa dentro de si é mais importante que qualquer coisa que venha de fora, deixe que as galinhas façam có có desesperadas por um punhado de milho, enquanto você, festeja sua festa própria, a felicidade dos que são felizes sem razão.

Nenhum comentário: