quarta-feira, julho 10

Pessoal e intrasferível.

Quando você dá o último suspiro antes de morrer, sua vida passa inteira pela sua mente, todos os eventos importantes.

Nessa hora você não pensa nos relatórios que deixou de entregar, nas vendas que deixou de fazer, nas preocupações que teve com dinheiro, nem dos dias que chorou você só pensa em algumas coisas e é tão rápido que não dá tempo de se apegar. 
Na minha última morte, minhas lembranças foram tão rápidas que só lembrei de:
a lente escondida na mão.
o cheiro de enxofre do talco de pé.
o senhor de peruca no pior hotel de Juiz de Fora
todos os sorrisos quando me viu chegando
Que não havia distância grande o suficiente
que tinha um cachorro ao fundo quando me dizia uma poesia
minha mão debaixo da sua perna enquanto dirigia
do dente torto que era o maior charme
Risos, muitos risos
minhas experiências de quase morte nos aviões
o queijo comprado especialmente em Barbacena
meu primeiro sanduíche de sabe tudo 
e por um momento durante o último suspiro eu me senti especial e esqueci de todo o resto.

Daí eu morri.

A pior parte da morte não é quando não se tem um filho, se planta uma árvore ou escreve um livro, lamento somente as praias que não fomos, as viagens que não fizemos e a vida que não tivemos. 

A pior parte de morrer, é continuar viva.

3 comentários:

iILÓGICO disse...

.........

iILÓGICO disse...

você nunca deixou de ser especial. você é especial. totalmente especial....s

Lex Dehon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.