segunda-feira, dezembro 2

Desabafo simples

Quando digo: Surtei, aposto que as pessoas imaginam alguém muito doido fazendo graça, mas acontece que os remédios que estou tomando para depressão, estabilizador de humor e anti ansiedade estão me piorando, mudo de um estado para outro muito rapidamente, tenho pensamento loucos de abandonar tudo porque tudo fracassou.
Me culpo por minha mãe ser alcoolatra, me culpo pelo Marcos, pelo meu emprego, por tudo, ate´porque o sol nasce.
Voltei a ter uma enorme compulsão por comprar.

Nada me convence de que alguém se importa com alguma coisa minha, mesmo tendo mil provas disso. Me isolei novamente, não ligo para minha mãe e desconto tudo no Marcos, ou no trabalho que não me satisfaz.

Hoje fui impedida de ir as compras pelo Marcos, resolvi depois me punir comendo um pacote de pão de forma, para passar mal logo depois.

Dizer que eu era uma pessoa normal é querer muito, mas nunca estive tão próxima do limite do sanidade, sem exagero, tem horas que só penso em dormir, porque dormir é a semi morte, já que não consigo pensar claramente sobre nada, me sinto incapaz, drogadas e flutuando em uma vida que deveria ser a minha.

Marcos quer me arrastar para outro médico, todos acharam três remédios para três diagnósticos diferentes muito, só que tenho mais pavor de médicos que do capeta encarnado, os médicos são os portadores das más notícias, e se o cara me disser que não posso viver em sociedade? (não sei porque motivo ele falaria isso, but...)

Sinto medo de tudo,um medo extremo de perder meu emprego e ficar sem ter onde morar, ou o que comer, esse medo chega a ser tão aterrador que me faz querer fugir do trabalho (favor achar a lógica) e por mais que tente, não consigo sair do lugar, faço as coisas, arrumo a casa, leio, tudo sem função, sem sair de qualquer lugar, mas não faço ideia de onde queira ir.

Só me lembro de querer ir pra debaixo da cama, arrastar meu edredon e ficar ali.

Para quem acha que estar doente é algo recente, vou explicar uma coisa, eu nunca dei a volta por cima, sempre me culpei pela minha mãe nunca ter melhorado e agora me culpo pelo Marcos também não estar bem, é como se qualquer pessoa que se juntasse a mim fosse arrastada para minha própria lama, sem saber.

E o não direito ao erro, é ter que continuar andando, quanto mais perdida, mais tenho que andar,




5 comentários:

Sarah Sol disse...

Te entendo mais do q vc possa imaginar...sofro de transtorno de ansiedade e por consequência depressão...numa hora quero a morte e na outra quero melhorar e tentar ser feliz...é uma instabilidade de sentimentos tão grande q parece não ter fim...muito cansativo...o unico jeito é confiar em Deus...a boa notícia é que vc é forte e de personalidade vai vencer isso...

Cristal - a pedra que fala. disse...

Sarha o mais doido disso tudo é ser uma pessoa imprevisível, acordar bem, ficar mal, tomar remédio, não poder beber, como vc disse, a canseira.... é o único jeito é confiar em Deus mesmo.... bjss

Sarah Sol disse...

P.S tem um livro o nome é "Divas no Divã" da autora Chris Linnares recomendo a vc..mto bom...vai por mim...procure e leia...vc não vai se arrepender...

Cristal - a pedra que fala. disse...

Vou procurar, anotei aqui, acho que vou me dar de natal!!!!!! Obrigada pela dica!

Sarah Sol disse...

denada tamos aeh pra isso...