domingo, março 23

Doencinha - Desabafo

Tem alguns vários dias que tenho uns ataques de pânico loucos, suadeira, tremedeira, coração desconpassado... depois que passa uma dor muito estranha nos músculos acho que da tensão.

Duas coisas me acalmam, fumar e comer, como só fumo dois cigarros por dia, tenho comido igual uma louca, engordei uns 4 quilos no último mês, depois que passa, me dá uma apatia terrível, porque achei mesmo que ia morrer e quando não morri tipo, não morri né? Frescura.

Poderia ter ataques de ganhar dinheiro, de arrumar minha casa, de fazer alguma coisa bacana, mas a realidade é que nunca achei o fio que me faria retornar a ser como era, não achei até hoje o sentido das coisas, se perderam no amontoado, e é tão chato viver mentindo. Dizer que "estou bem" "estou melhor" quando não sei se houve alguma coisa mensurável.

E como entendo os alcoolatras e viciados, o que não daria nessa hora para fumar toda a Souza Cruz, me entortar de tanto beber ou enfiar uns remédios para dormir goela abaixo? Que vontade louca, só não o faço por ter visto o final dessa história.

Ontem bebi duas taças de vinho e fumei uns 10 cigarros, me senti quase aliviada, o ideal teria sido beber até cansar, mas não consigo, não é exatamente uma fagulha de esperança, mas é algo que ainda consigo controlar dentre tantas que não consigo.


No passado achava que quem tinha esses troço é tudo uma frescurada danada, mas sei a força que se faz para não escorrer junto com a água do banho. Vejo as pessoas por fora e me pergunto quantas podem estar passando a mesma coisa, escondida, mentindo para a família enquanto algumas pessoas as acham simplesmente "geniosa" - o que nem é mais meu caso não tenho paciência para entrar em conflitos.

Só reparo o mundo de desperdícios, nunca mais terei essa idade, nem essa vida, e nada disso tem o mínimo valor.

Não faço mais nada por mim, faço pelas pessoas que me amam e que eu não quero que sofram, minha família é muito desequilibrada e já lidam com coisas tão piores, a única coisa que disse aé hoje é que me sinto muito muito triste, mas não sei exatamente porque, a pioriadade é que eles fiquem melhores que eu, também não tenho nada, nem marido nem filho, nem uma família minha (eu sou família de alguém, mas minha nunca construí) nada mais justo que eu abdique só mais um pouco, é uma mentira branca, uma coisa desculpável.

Daqui a poucos dias estarei de férias no Rio, no entanto, só quero dormir.




2 comentários:

Andréa disse...

As fases de mudança são caóticas, às vezes. Até na História do mundo você vê isso...

Patty disse...

Sei bem como se sente, pois me sinto assim e não pense q mudaria caso vc tivesse a sua familia, pois tenho a minha e isso continua acontecendo!!! As vezes a única vontade é sair correndo sem rumo isso se eu conseguisse coragem de levantar da cama já q a vontade que impera é a de ficar deitada por séculos!!!
Bjo na bunda!!!