sábado, agosto 16

Desafios

Tenho passado por grandes desafios financeiros, para não dizer um perrengue da porra, do caralho mesmo mermão.

Tem dias que fico totalmente desesperançosa...  não me venha mandar uma de "encare de cabeça erguida" porque manter a cabeça FORA d´agua já está foda.
Minha internet vai ser cortada de novo, estou lotada de dívidas e tentando pagar, mas dívidas e juros é tipo um tubarão faminto que você joga um bife uma vez por mês e espera que ele vá ficar satisfeito por mais 30 dias, mentira. Balela. Não vai.

No intento de estancar a carnificina que tinha virado minha conta e meus furos, paguei com muito sacrifício e coragem o cheque especial, logo após cancelei.... aí fiquei sem aquela grana a "mais" (tá que sei que não me pertence) para pagar as contas quando o dinheiro falta (e falta).

Estou a dois meses literalmente dando pulos para pagar as contas, comer e fumar, algumas contas estão em débito como a internet e rolou uns fuminho dos brabo, sem falar no macarrão com feijão.

O que mais me incomoda é o TANTO que preciso sacrificar AINDA para acabar com minha dívida principal, aquela da folha de pagamento, aquela que já arranca antes de chegar.

Claro que adoro me imaginar como uma pessoa irresponsável que pegou empréstimos para comprar sapatos e perfumes (é o que gosto de pensar), mas também precisei de dinheiro para coisas reais como comer, pagar aluguel, pagar a pintura do meu antigo apê, um aluguel de lá e outro de cá quando a imobiliária não o aceitou de volta e paguei por dois apartamentos durante 30 dias, quando minha mãe ficou doente, quando minha avó teve câncer ou quando muito simplesmente o dinheiro não deu.

Pago minhas contas principais, como aluguel, luz e condomínio,  o que sobra coloco em uma caixinha, aquele é o dinheiro para passar o mês INTEIRO, na maioria das vezes nem dura duas semanas e começa o rebolation entre comer e fumar e tem tantas coisas pra comprar, coisas inúteis que gastam um dinheirão como papel higiênico, saponáceo e desinfetante.


Mais interessante é que minha família não sabe de nada (afinal EU dou ajuda financeira a eles que estão tão na merda, ou mais que eu) pra quem não sabe sou filha única e minhas ajudas normalmente vem de eu, eu, Deus e Marcos quando pode, não nessa ordem (rysos).

Toda vez que tentei desabafar é a mesma história do gastar menos que ganhar, mas quando o salário é mil e o aluguel é mil e cem (hipoteticamente) FICA UM POUCO DIFÍCIL ESSA CONTABILIDADE, sem falar nos matemáticos que moram com mãe e pessoas quem não tem a mínima noção da minha vida. Acabo me calando porque não quero ficar desfiando meu rosário de chatices com dinheiro, porque é chato e é desgastante.

De vez em quando pego uns bico em festa (mas não rola sempre, porque não sou da equipe fixa, o que é uma pena) vendo uns herbalife e andei vendendo umas make cara minha, afinal quem precisa de Lâncome quando a panela tá esvaziando? Sem falar nas trocas cazamiga, tipo meu perfume importado pela sua calça.

Não tem sido exatamente engraçado tudo isso, e nem tenho tirado de letra, tem sido muito cansativo, solitário e chato.

É claro que tenho ímpetos de sair dessa diariamente, ou já teria cortado os dois pulsos, não tive mais NENHUM episódio de pânico, depressão ou gêneros, só é chato não ter dinheiro para fazer o mercado e pagar a internet (já falei que essa coisa de ficar sem internet é um saco?) e ter que ter, porque se não não tem, saca?

Acabo ficando sem assunto enquanto flano pelo apartamento pensando em como vou sair dessa,  você acha que me preocupo com minhas dívidas em si? Me preocupo com as contas, de não ter de onde tirar dinheiro.
É claro que poderia pedir ajuda a um monte de gente (oi? Rá essa foi boa, não?) mas se não tenho dinheiro para pagar mais dinheiro pegado emprestado, como pegar emprestado??? Ein ein??? Nem quero perder minhas poucas amizades porque não pude pagá-los, e se você está sabendo quem anda distribuindo dinheiro sem precisar de pagamento me diga que preciso de pouco.

Tem sido muito monónoa minha vida. Mas cheia de emoções.











4 comentários:

Nem toda it pode disse...

Eu sei bem como é! Tbm sou a financiados da família mais falida do que eu. Enfim, rola uns grupos no face de troca e venda de tudo! Eu sempre que me aperto vendo minhas coisas por lá! Roupas que eu não uso ou não servem mais, maquiagens, cremes! Veja isso, já que vc tem o dom da venda! Acabe fazendo disso uma renda extra...

Praia de Fora - Palhoça disse...

Então, tbém estou passando por um turbilhão e uma ideia (que pode ser boa ou uma bosta) é transferir a dívida para um banco com taxa menor de juros, tipo a caixa econômica. Mesmo sendo empréstimo consignado, é possível fazer isso. É a tal da "portabilidade da dívida". Perde um tempinho e vai ver isso...Vc vai ver que diminui consideravelmente o valor da sua parcela.
Outra ideia: vender coisas usadas em sites especializados. Achei um mto bom. www.enjoei.com.br

Sissi H. disse...

Oi Cristal, seguinte, tu já procurou entrar com uma ação revisional de juros? ou conversar com o gerente mesmo a respeito? geralmente os bancos cobram juros altíssimos que não são permitidos. as vezes conversando ajuda, em outras é preciso entrar com a ação, os juros baixam consideravelmente.

Cristal disse...

Nem toda it pode: Tenho trocado e vendido coisas que simplesmente não me são úteis, no trabalho, com meninas na mesma situação, principalmente bolsas, sapatos e perfumes, que é o que mais tenho.

Praia: Não avisa a ninguém mas já fiz isso, "vendi" minha dívida para a caixa, juros mais baixos, porém descontados diretos na folha. Não estou com muitas coisas interessantes pra vender agora, mas foi bom ter lembrado do enjoei.

Sissi: Já. Fiz acordo. Mas a bola que estava gigantesca, diminuiu um pouco. Tinha pegado 1.800 reais de empréstimo, dois anos depois devia quase 9 mil. Sério. Eu nem vou falar quanto ganho, mas é um dinheiro impossível de se pagar, inclusive financiado, teve um mês que apertou e não consegui pagar a parcela, o que ocorreu? Quebra de contrato, a dívida retornou ao início, o que paguei praticamente não deu em bosta nenhuma e meu nome ficou sujo de novo. A bola voltou a crescer. Devo em dois bancos, uma dívida da Caixa que pago religiosamente e acabará em 18 meses e a outra do Santander que mandei para os cocos porque não consigo pagar tudo isso mais aluguel, mais família e etc...