terça-feira, agosto 19

Vamos falar de coisas boas.

Acontece coisas boas também.
As ruins ficam por cima, pairando, me fazendo esquecer de vê-las.

Troquei de chefia. Não posso falar muidezas sobre meu antigo chefe pois isso me renderia um processo, mas me deu esperanças. Simplesmente me deu fôlego para trabalhar do jeito que quero, ou seja: sendo a melhor.

Troquei duas bolsas que nunca usei por uma marvilhosa da nike, rosa, meio estropiada, mas que cabe meus lanches, meus livros, meu caderno, porque não como mais na rua, só um cafezinho literal e mesmo assim de vez em quando, como já disse, dinheiro não está tipo dando piruetas na minha conta e não sou trouxa de gastar o pouco que tenho em lanche.

Meu relacionamento está maravilhoso, Marcos me segura toda vez que me desespero, ou que me vê olhando para o infinito com os olhos vazios, faz gestos que não envolve dinheiro, mas envolve boa vontado e carinho, como consertar minha pia.

Uma leitora me enviou um e-mail solicitando algo, porém não quero divulgar porque não pedi autorização.

Minha mãe não bebe mais daquela forma, está tentando o "socialmente", não é o ideal, mas é um começo, isso faz algum tempo, o que me dá sossego de saber pelo menos onde ela está dormindo e que ela está comendo, arrumou a ocupação de cuidar dos meus dois velhos, o que foi um arranjo perfeito, mas ela não tem renda nenhuma, o que me dá uma apertada a mais (pois assumi uma dívida dela também, uma... algumas) mas se ela estiver sem beber pode me solicitar um braço que arranco e dou de boa.

Minha vida não é um mar de lamúrias, as vezes acontece de as coisas apertarem mais do que deveriam, apesar de tudo conto com uma coisa maravilhosa: minha cabeça, ela me trai de vez em quando, mas nunca me deixa na mão, quando estou prestes a sucumbir literalmente lembro que tem alguém muito grande que cuida de mim.

Nunca mais tive depressão. Mesmo passando por tudo isso. Passo por tristezas momentaneas, mas nada comparado ao desalento que tem essa doença, nada explica, só se sente, e não se sente nada. Eu sinto, sinto vontade de sair dessa, sinto que é uma fase, sem dúvida uma das mais duras em vários sentidos, mas vou sair dessa, sei que vou.








Nenhum comentário: