quarta-feira, novembro 9

Blá-blá-blá emprego.

Saí de um emprego e estou indo pra outro. Engraçado que sempre tive medo dessas mudanças muito bruscas e sempre fui muito insistente no que dá errado, aliás insistir no que da errado é uma característica muito marcante.

Tinha prometido que não passaria isso again. Depois de 20 dias arrumei outro emprego,  na verdade arrumaram pra mim,  um cliente indicou meu nome em uma empresa que... conhecia só de nome, eles me chamaram e passei nas audiências do lava jato.
O emprego anterior não era ruim,  de forma alguma,  mas esse é melhor. 

Estou em uma época de extrema intolerância com tudo e com todos,  as mesmas pessoas que me cobram um determinado comportamento não fazem nada a respeito de si próprias nesses quesitos,  como retaliação me afasto para que pensem nas próprias vidas.

Minha terapeuta diz que não sei "compartilhar" concordo muito com ela, não sei compartilhar,  não sei se quero aprender.  Existe uma enorme canseira nessa parte de compartilhar quando o que compartilham não é exatamente o que eu gostaria. Tenho me tornado uma pessoa muito chata,  muito alheia a tudo.

Não tenho quem me ouça direito,  quem ouve sempre arruma um jeito de fazer uma crítica no intuito de me ajudar... é claro,  e não acredito mais em crítica construtiva,  crítica é crítica e ponto final. 

Tenho me forçado a não cair na tentação de dar crédito as coisas que me colocam pra baixo como,  ah você é impulsiva,  você é chata,  você é inflexível. Eu sou um ser humano pooooorrraaaaa,  cheio de características e dubialidades como todo cerumano.  Chega de rótulos.  Cansei de ser conhecida como muito boa em algumas coisas e péssimas em outras.

 Sabe o que acontece? Eu ainda estou em construção.

Nenhum comentário: