quarta-feira, fevereiro 2

Mas...

eu também não me dei por vencida liguei de novo pra minha mãe e esbravejei que não ia casar nunca porque ela tinha varrido meu pé quando eu era criança.
Falei que ela me rogou praga e que ela vai ter que conviver com isso pro resto da vida.

Claro que ela começou a rir e eu também, disse que tinha "a menina que roubava livros" e que eu poderia escrever "a menina do pé varrido"

Ninguém leva minha dor a sério. Chacota até dos meus familiares.

Ps: Vou registrar esse título.

2 comentários:

Luciana Matos disse...

Essa coisa de pé varrido não é verdade, meu pé foi varrido e mesmo assim eu casei. Agora a parada de comer direto da panela é verdade no dia do meu casório choveu tanto que eu tive que pegar carona com Noé até a igreja.

bjo!

Priscila Zanutti disse...

A vida é assim mesmo muitas vezes eu entrei com o pé e os sapos com a bunda e eu achava muito natural, a primeira vez que a bunda foi a minha eu sofri tanto que parecia que alguém tinha morrido, passado o luto eu sobrevivi...Pense naqueles velhos clichês: "Ele não me merecia mesmo!"Tudo vai dar certo", "A fila anda", "O que tiver que ser vai ser" ou "Antes só do que mal(ou bem) acompanhada, nesse momento vou focar só no meu trabalho"...O último é muito nas entrevistas dadas por criaturas encalhadas, chutadas e até celebridades internacionais. Melhoras e volta logo. Bjs