quarta-feira, outubro 5

Divagações.

Estou a beira de um colapso, sei que parece engraçado, mas é sério, junto todos os hormônios, problemas, coisas que não se acertam na minha cabeça.
Hoje quando eu acordei pensei "preciso me cuidar" porque acordei de novo com dor de cabeça, já não sei a qual pressão devo ceder, se da família, do namorado, no trabalho... não tenho me controlado, tomo uma espetada e dou um tiro em troca. Tenho medo de perder o emprego, o namorado de vez, mas não estou em condições, preciso de descanso, internação, que me deixem em paz, que parem de gritar comigo, tenho 26 anos, pareço uma velhinha, e toda vez que estou saindo desse estado, algo acontece. O estômago dói, os ombros pesam, uma coisa que chamo de "canseira do mundo" tudo é tanto que não sobra espaço para ser um pouco eu. Tomo remédio para dormir. Para desligar de vez, esqueço de falar as coisas. Esqueço o que estou fazendo aqui. Tudo carece de explicações, justificativas, palavras, palavras, falatório, barulho, caos, eu quero o silência dentro de mim, o silêncio da certeza que tudo é uma fase e que tudo passa, mas como tem sido difícil. Não falo pra ninguém, não escrevo e deixo tudo aqui dentro, estou cada vez menos disposta a engolir qualquer coisa, chuto o balde com facilidade, chuto eu, chuto você.
Preciso de um descanso emocional, estou cansada, com o saco cheio, tinha a impressão que a poucos meses atrás minha vida fluia..... e agora ele está emperrada, e eu fico puxando um saco de tralha que já deveria ter largado, porque essa tralha são dos outros.
 
Antigamente todas as áreas da minha vida não se interligavam, hoje além de não se interligar, brigam, minha família quer ser visitada primeiro que o namorado, que toma por causa do meu trabalho.
 
Preciso não precisar, acreditar, deixar as coisas andarem, também tenho mania de controlar o destino, a mim e ao dos outros. Parar de intoxicar, fumar, emfumaçar, comer, remediar, tremedeira, pressão na cabeça, minha vida é assim, é normal, todo mundo é assim, não não é, não é assim, não é assim que queria que fosse! Tem dias que choro, tem dias que perco o olho no horizonte, tem dia que evito pensar tanto que consigo. Ninguém me conhece, e estou perdendo essa necessidade, as pessoas doentes me deixam doentes, tenho os mesmos achaques, as mesmas neuroses, pegas como se fossem vírus. Daí me vejo, cheia de medos, insegura, tremedeira, a cabeça pesando, me olho e pergunto, quem é essa pessoa? Não tenho orgulho de mim, na maioria das vezes me acho uma pessoa medíocre, mas tem horas que me encho de alegria, na minha cabeça sempre falo "sou autodidata na arte de me alegrar com bobagens", minha vida passa, sua vida passa, a gente quer tanto tantas coisas, a gente quer tudo o que não dá. O que não pode dar. O que não sabe receber. Eu sempre falo sobre... aquilo que não faço idéia.
Sou assim, quanto menos entendo, mais discurso, quanto mais doida, mais falo, quanto mais ferida, mais calo, sou dessas, que você conhece a vida inteira e nunca conheceu.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

5 comentários:

'Lara Mello disse...

Você disse uma coisa que eu sempre achei: Você é uma velhinha, mentalmente claro, você só tem, 26 e se cobra tanto, quando de verdade só precisa relaxar.. Existe momentos tão difíceis em nossas vidas, e a única coisa que vem na nossa cabeça é dormir e não acordar mais.. Mas você tem que continuar a viver, enfrentar, arriscar, isso se chama viver..

Sorte, qualquer coisa grita! \o/

Daniel disse...

Cristal, vê se descomprimi. Voce mora num lugar super previlegiado. Pega um fim de semana e vai para uma praia longe da capital, você tem desde Parati até Arraial do Cabo, ou sobe para a serra, tem opções desde Itatiaia, Petro, Tere, etc.....Não falta lugar...benção Rio de Janeiro de São Sebastião......você veio do interior e sabe do que estou falando.......um tempo só para você, longe da babilônia.......

Erika disse...

Vc sou eu???

iILÓGICO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kad Carolina disse...

É, eu me ouvi falando agora...
To na mesma!