quarta-feira, fevereiro 1

Uhu.

Ontem bati minha meta na tampa da beirada, e olha meta taí pra ser batida... é um número desafiador (desafiador é eu tentar entrar em uma calça 42), que é possível, basta se esforçar, basta fazer isso e aquilo e todo aquele blawhyskas que os plaestrantes motivadores vivem falando, mas eu sempre levei a sério esse troço de meta, sempre. Até quando vendi relógio na Renner.
Não me perguntem porque exatamente já que todos os vendedores deveria ser assim, mas não são, muitas vezes não dá para bater mesmo, por inúmeros motivos, e as pessoas convivem com isso e não se estressam... mas sempre acho que se me fixar naquele número obsessivamente ele se materializará para mim. Não me perguntem que tipo de macumba é essa, mas comigo dá certo.
Claro que se eu empregasse essa ténica para outras áreas muitas coisas seriam diferentes, mas no momento é o que dá.
 
Fiquei tão doida ontem que não parava de trabalhar, parecia que tinha bebido óleo de avião queimado, porque era um tal de "deixa comigo" que fui lá e pei.
 
Pra mim que adoro o que faço, no dia que desligo o botão do "e se..." (claro todos temos nossas idéias sobre o trabalho ideal, na minha concepção será o dia que conseguirei vender tudo o que orço, negociando e pegando TODOS os pedidos do mercado.) voltando, quando saio do "e se..." as coisas fluem e volto a descobrir porque virei vendedora e porque cargas d´agua eu gosto tanto de fazer o que faço.
 
Quando soube dos meus números, me deu vontade de subir na mesa, levantar os braços e gritar WE ARE THE CHAMPIONSSSSSSSSSSSSSS MY FRIENDSSSSSSSSSSSS!!!!!!!!!! Enquanto balançava a cabeça ritmadamente.
 
Tinha um tempinho que não me sentia assim, não por falta de amor ao trabalho, mas pelo excesso de burocratização fui esquecendo como vender é legal, mesmo com tantos "NÃO, QUANDO PRECISAR DE MATERIAL ELÉTRICO TE LIGO." - as vezes nada de especial realmente acontece, são pedidos, pessoas mal educadas, misturadas a "tenho que vender mil milhões não importa como" e as outras coisas que vão ficando por cima e por cima e por cima....
 
Outro mês começa hoje, um mês que é uma planilha em branco, toda vez que o placar vira e tudo vira um enorme zero, dá uma enorme satisfação de saber que poderei esse mês vender para caralhomermão, arrebentar essa porra toda;;;; é fácil? Não. É estimulante? Nem sempre. É enlouquecedor? Sem dúvida.
 
Mas alguém tem que fazer né?
 

2 comentários:

'Lara Mello disse...

Né?! Rs adorei saber que bateu a meta e que está feliz, tu merece!! =)

Murilunk disse...

Me sinto assim em relação ao blog: você escreve m puta texto, que todos comentam e elogiam, mas daí uns dois dias ele se torna velho e temos que nos deparar com uma folha em branco de novo.

A cada texto, um parto.

Abraço.