terça-feira, outubro 30

Momento cítrico.

Daí que é fato meio que consumado que meu relacionamento só desanda desde que vim, a gente tentou colar daqui e dali mas resumindo falamos idiomas diferentes.

Meu primeiro momento foi me fazer de vítima, "olha eu depois de ter me mudado, endividado, ficado doente, me cagado, maluca com as contas" eis que me surge que eu simplesmente deva aceitar os fatos, pode acontecer com qualquer um, pessoas foram largadas no altar e não morreram.... yadda yadda yadda.

Esse era o tipo de texto que eu queria escrever, mas estou sofrendo. Sofrendo pra caralho. Não tem uma hora que me sinta realmente alentada, me dá uma tristeza enorme saber que as coisas podem dar errado para pessoas legais como eu e o Marcos, tá que no momento não acho ele tão legal assim, mas não consigo ter uma raiva daquelas que cegam a gente, só fico com raiva, depois fico triste, depois fico com um pouco de raiva porque me acho boba e depois fico triste de novo.

Acredito que o fato de não ter me adaptado ajuda e muito, fora a pouca afinidade com meu atual trabalho, que apesar de ser vendedora não encontro ânimo para ser minimamente encantadora como antes, e é péssimo porque a empresa espera resultado e apesar dos meus esforços hercúleos na maioria dos dias mal encontro forças para ir trabalhar. Mesmo assim ainda vendo.

Surge o pensamento de voltar para o Rio e recomeçar sabe-se como (pedindo meu emprego de volta por exemplo) mas uma mudança dessas exige muito mais que dinheiro e vontade. É dífícil explicar pra mim que não é uma questão de mudar de casa e trabalho, sei que teriam mil pessoas me ajudando a voltar, mas não é essa questão, a questão é que não quero, não quero nunca mais viver pela metade em qualquer lugar do mundo,  o problema é que não quero abandonar sonhos, vontades e projetos que morreram muito antes da execução, é ter a vida paralisada durante séculos esperando a época a ser vivida, o morar perto que mudaria tudo, teríamos tempo de nos ver, de nos curtir, não precisar viver na ponte aérea ou na estrada, ter dias inteiros sem cobranças, fazer planos de comprar coisas, passear e enfim relaxar. Veio a realidade  não foi boa, nem pra mim e nem pra ele. Explicar isso demandaria muito tempo, mas de alguma forma e em algum ponto deu errado, como uma massa de bolo que faltou um ingrediente, não foi amor que faltou, faltou todo o resto somente.... e infelizmente o amor não segurou a barra, foram muitos problemas.

Agora eu vivo assim, literalmente e praticamente sozinha, olhando o teto do quarto e me perguntando qual foi esse ponto exato para poder voltar no tempo e consertar, queria ter o poder de simplesmente parar o mundo e retornar a esse exato momento, as vezes me pergunto se foi algo que eu disse, algo que não disse, as vezes tomo remédio pra dormir para sair desse estado torutrante.

Eu tenho um apartamento montado e enfim bonito, tenho um emprego que as pessoas se batem para entrar, tenho uma boa cabeça (ainda tenho resquícios dela) e ninguém para compartilhar tudo isso. E nem eu mesmo para curtir as minhas conquistas porque a maior delas nunca veio, ficou parada no meio da estrada RioxBh.

E é estranho porque de alguma forma espero que um milagre caia do céu e pá, voltemos a ser o que éramos, teríamos poesias, palavras encorajadoras, sonhos de amor, beijos apaixonados e tudo que já vivemos, os dias passam e passam...

É muito ruim ver o amor escapando entre os dedos e fechar com tanta força que dói perder o pouco que ainda resta e é mais triste ainda esse esforço porque já épocas de tanto amor que contagiava tudo a volta.

O que restou foram frases soltas no computador, de uma época que só existe na memória e nada poder fazer.

Não tenho condições e nem vou tomar nenhuma decisão, qualquer que seja, voltar pro Rio ou ficar, tentar de novo ou deixar que as coisas se ajeitem sozinhas (elas nunca se ajeitam) peço pra Ieu ter forças e me segurar mais um pouco pra não pirar, pedir demissão e só sair daqui com a ação de despejo e não estou aceitando conselhos de qualquer tipo, eu mesmo sou capaz de aconselhar qualquer um, contando que esteja vendo de fora. E não queiram que eu saia do meu momento letárgico pra jogar uma macumba em vocês, se não for pra falar algo muito bom como por exemplo "seus olhos são lindos" sumam daqui.






Nenhum comentário: