quinta-feira, novembro 15

Momento auto ajuda com Cristal das Candongas.

Quando eu fazia terapia já sabia, depois soube mais ainda e hoje posso apostar que é verdade. Somos responsáveis por tudo o que nos acontece.
Em algum nível consciente ou não, bem provável que não... escolhi viver essa experiência.
como já sei mais ou menos (bem mais ou menos) como os mecanismos funcionam, apesar de ainda não ter controle sobre eles, vivo pedindo alguma coisa para os céus, "me dê isso ou aquilo" "me dê isso que serei mais feliz" "se eu for morar ali meus problemas acabaram" e pá, está tudo aqui.
Se as coisas que pedi não são exatamente do jeito que quero, é porque devia estar pedindo algo "de forma errada".

Voltei a meditar tem alguns dias, (até tampanado os ouvidos dentro do ônibus quando o tempo fica realmente curto) meditações curtas ou longas dependendo do meu estado no dia e meditando até de forma "vamos parar de fazer alguma coisa e respirar) e fui acalmando a minha mente que quer controlar e entender tudo, desfiz os pedidos anteriores e fiz um único pedido para todo o universo, "por favor me dê clareza de pensamento e me faça ver as coisas como são para que realmente possa lidar com elas".

Niqui aconteceu uma coisa meio bizarra, é como se outro cérebro fosse colocado no lugar do meu original, de repente comecei a ter como direi... uns lampejos que chamarei de lucidez, mas não é exatamente isso, é como se tivesse conseguindo ver as coisas em cenas, em vez de vivenciar essas cenas dentro da cabeça.

Fui vendo os problemas de relacionamento, dinheiro e trabalho todos em segundo plano, e comecei a perceber que não sou nada disso intrinsecamente todas essas coisas só são o que são, experiências e não uma parte de mim como um braço ou perna.

Foquei em um exercício de liberação dos meus padrões mentais, de querer resolver tudo, provar que sou boa, provar que posso, provar que meu arroz é melhor que o seu, que minhas vendas são melhores que as suas e por aí vai.

Comecei a ter uma "alegria" diferente, como se tudo fosse tão transitório que não haveria nenhuma necessidade de controle, de resolução (porque resolver o que já está perfeito?) e de nada.
Fiquei um pouquinho mais leve em vez de chorosa, comecei a ver as coisas realmente de um ângulo diferente, por isso poucas coisas tem me incomodado, e tudo isso porque repeti diversas vezes que queria ter pensamentos mais claros.

 Mas esse não é um momento hiena, porque não quero "estar feliz" a qualquer custo, só quero poder contemplar um pouco da minha vida e achar se tudo não tão bom, ao menos bom.

E tenho achado, e não direi "apesar de tudo" porque o que é tudo se não somente o que tenho dentro da minha caixa cabeçal? Todo o resto posso ter ou não, mas isso também não tem me incomodado (tirando que quero ter um Iphone).




Nenhum comentário: