domingo, janeiro 6

Eu me desejo.

(O texto está enorme, beleza, é o que teremos durante muitos dias aqui, então aproveitemos)



Primeiro eu queria me desculpar com meus leitores, depois pensei “ah indefere!” eles acabam por conhecer minhas loucuras de alguma forma.

Recebi vários e-mails, alguns nem respondi, mas por não saber o que dizer, dizer o que? Que voltaria? Isso era óbvio demais, porque eu sou demais pra mim pra não me expressar.

Mesmo que ninguém leia, ou ouça, continuarei falando, escrevendo e gritando. Porque tem algo errado, mas não é comigo, é com tudo. Lutei contra a mediocridade durante tempo demais para agora quando me encontro nela parar e repousar. Essa não sou eu. Posso estar apática, meio morta, toda despedaçada, mas enquanto ainda existir um pedaço meu e pode ser um pedaço atômico, esse pedaço ainda sou eu, e se esse sou eu ainda tem coração, vísceras, vontades, sonhos, e não importa quantas vezes eu precise morrer para renascer, quantas vezes precise matar, gritar, esquartejar, e atropelar todos a minha frente,  podem acreditar que farei isso. 

Posso parar mil dias, posso hibernar, posso quase paralisar meu pensar e sentir, mas um dia eu acordo. Acordo normalmente e faço café, olho em volto e pergunto, como consertar tudo isso?
Eu menti. Eu disse que queria uma vida comum. Eu acreditei nisso. Acreditei tanto que quase achei que era verdade. Invejei as pessoas comuns, queria correr o que elas corriam, queria ter o que elas tinham, mas era tudo mentira, eu sempre quis o mundo, do tamanho que ele é, pelo menos senti-lo dentro de mim dessa forma. Eu me moldei dentro de uma casca de ovo que já arrebentou tantas vezes que nem me vale colar. Eu me reencontro todos os dias nos meus sonhos. Eu nunca deixei de sonhar, só pensei “se eu me espremer mais um pouco me vai caber.”


 O coração falhou uma batida quando olhei a imensidão da montanha, e lá em cima eu estava e fechei os olhos e pensei “eu não sou um pedaço disso, eu sou isso”. Eu sou enorme, posso estar em tantos lugares que quiser, posso ter pedaços em qualquer parte do mundo, eu, eu eu, eu mesmo, jamais me contentaria com um quadrado, fosse ele o maior quadrado do mundo. Por isso eu ando, por isso eu corro, por isso estou aqui e ali, e me viro e sorrio, porque eu sei de alguma coisa que a maioria apenas desconfia. Eu não sou infeliz, apenas escolhi a felicidade alheia. Ninguém parou e me perguntou, o que você quer? E eu esqueci de me perguntar o que quero. Esqueci completamente.

 Eu preciso de muito espaço para me arrebentar, não preciso de asas pra voar.  Posso pular a qualquer hora de qualquer altura, porque é mentira dizer que eu tenho medo, que tenho medo de não dar certo, porque tudo já deu certo. 

Eu poderia fazer uma lista enorme de resoluções para o ano novo, mas ela seria tão mentirosa quanto foi as dos últimos anos. Poderia começar com emagrecer uns quilos e parar de fumar.

Sabem o que quero para meu ano novo? Minha vida toda?

Quero ser livre pra pensar e falar o que quiser. Foda-se o mundo. Vou morrer. Vou morrer mais rápido que imagino, como você, porque a vida passa rápido e a gente sempre pensando “o que vão pensar de mim”.

Quero ser a pessoa mais louca do que já fui em qualquer época, toda vez que quis ser normal deu merda. 

Quero amar muito, mesmo que o objeto do meu amor seja imperfeito, e é, e nunca mais tentar consertar ninguém no universo. Foda-se. Eu não consegui ME consertar muita pretensão da minha parte achar que consertaria o Marcos, minha mãe, meu-minha chefe e etecetera, foda-se todo mundo, se vocês são errados, caguei.

Nunca mais dar nada,  como certo na vida. Isso foi o que mais me fudeu no último ano. Amor não é certo. Casa não é certo. Emprego não é certo. Tudo muda. Nada é certo. Nem esse texto é certo.

Nunca mais PRECISAR me sentir segura, como uma pessoa incapaz se enche de espuma para quando o mundo bater, doer menos, eu quero é que bata mais, até acordar e nunca mais me permitir dormir no ponto.



Quero saber lidar com dinheiro. Quero aprender a ganhar e MANTÊ-LO comigo!!!!!!!! E quero ter muito dinheiro, pra manter e gastar que é meu esporte favorito. Para comprar champanhe caro, maquiagem cara, e tudo o que quero ter mais caro que meu dinheiro puder pagar. E que eu possa comprar até paz de espírito, massagem no ego, qualquer merda que eu achar que preciso inclusive atenção. Não quero mais merecê-los, quero COMPRÁ-LOS.

Quero ter uma vida simples – MENTIRA. Quero ter todos os supérfluos necessários e muito mais. Vou deixar a vida simples pra quem quiser tê-la.

Quero ter dinheiro para comprar TODOS os livros que eu bater os olhos e for do meu desejo.
Quero ter um carro que corra muito, só por tê-lo e que ele seja caro e que as pessoas me invejem. Talvez eu roube o do Marcos, porque o carro dele corre mas eu sempre me cago sentada na carona. Mas eu não dirijo... ainda... quero sentir aquela sensação de correr em carro, sozinha em uma estrada. Esse ano aprendo a dirigir. 

Quero possuir muitas coisas, mesmo que caixão não tenha gaveta, enquanto aqui estiver quero ter, possuir, dizer É MEU, EU PAGUEI FODA-SE ESSA MERDA. Vai cagar sua filosofia lá na casa do caralho.

Quero que todos da minha família sejam felizes, mas que eu não seja o ponto de felicidade de ninguém. Quero ser livre. Nunca mais quero que ninguém precise de mim para ser feliz. Que minha presença ou ausência jamais adoeça ninguém, e que eu nunca mais precise desse tipo de afirmação.

Nunca mais quero sentir culpa. Cada um tem suas merdas para carregar. TODO MUNDO. Mesmo que sua merda seja mais fedida que a minha, ou não, não quero compartilhar sua merda. Sua história triste. Todo mundo tem uma história triste pra contar. Inclusive eu.

Quero que minha afilhada, produzida pela minha irmã e meu cunhado seja feliz. E que eu possa fazer parte da vida dela. Mas que eu permita que ela faça parte da minha.

Quero nunca mais me preocupar com dinheiro para pagar contas corriqueiras.

Quero ir a teatro, restaurantes, shows, nem que seja para falar mal.

Quero acordar cedo, dormir tarde, estudar, fazer alguma coisa produtiva, me exaurir fazendo algo produtivo.

Quero vender tanto, tanto, até me tornar uma lenda, alguém que passa e as pessoas cochichem achando que sou feita de uma carne diferente. Aliás quero vender tanto até vender a empresa e ter que ir vender em outro lugar. Aliás eu quero sempre me lembrar que sou tão foda que,  se for mandada embora as 10:00 da manhã depois do almoço já estou empregada vendendo em outro lugar.


Quero comprar um apartamento em um lugar perto de tudo, mercado, lugar pra comer e gastar. De preferência uma cobertura em um shopping. 

Quero nunca precisar de lugar comum e clichês para explicar bosta nenhuma e nunca mais ler um livro de auto ajuda na vida.

Quero aprender a dançar. Qualquer coisa. Só pra destravar o corpo.

Quero me sentir bonita uma vez na vida, porque Deus me fez com essa cara se não consigo acha-lá boa? E quero fazer mais tatuagens, e ter o corpo parecido com o dos meus sonhos e não, não é das Panicats, é ser mais alta e ter boa postura, nada que um salto e um consertador de postura não dê jeito. E meus braços estão muito flácidos, tenho que dar um jeito nisso também.

Quero não baixar o olhar quando as pessoas me encaram na rua, sei que tenho esse olho de vidro mas já passou da hora de eu andar com a cabeça pra cima ao invés de olhar pra baixo ou ficar fugindo dos olhos das pessoas.

Quero nunca mais ter que provar nada que eu falo, porque tenho que provar se não basta minha palavra?  Se falo que vou fazer tal coisa é porque o farei, mais cedo ou mais tarde,  eu não ando na rua falando “PROVE-ME O QUE DIZES” e já tô de saco lotado disso.

Quero aprender a argumentar pois meus argumentos atuais são:  me calar perante a ignorância das pessoas, ou dar uma de Dercy Gonçalves e responder: PUTAQUEPARIU CARALHO SUA OPINIÃO É UM CU FUDIDO.



Quero ser surda para a opinião alheia, minha intuição já se mostrou muito útil variadas vezes, já fiz tanta coisa que as pessoas consideraram errado por falta de cu de fazê-lo. E outra quero ter a coragem absoluta para falar: SUA OPINIÃO NÃO ME INTERESSA ao invés de emprestar meus ouvidos enquanto penso nas Dilmas que preciso para comprar um sapato novo.

Quero ser superficial, vaidosa e poder falar umas merdas sem sentido de vez em quando, uma coisa meio burra, onde foi que assinei que teria que cagar poesias da Divina Comédia dia e noite?

Quero poder errar muitas vezes e mesmo que não consiga consertar esses erros rapidamente QUE EU POSSA COMETÊ-LOS QUANTAS VEZES EU QUISER. Já estive endividada uma vez e estou novamente, muitas Dilmas devo ao banco, será que eu não aprendi nada? Claro que aprendi, aprendi que os bancos cobram juros caros. Aprendi que quero ter um banco.

Quero admitir tudo o que sou sem problemas, sou bagunceira? Sou mesmo. Sou perdulária? Sou mesmo. Sou egoísta? Sem dúvidas. Sou imediatista? Não, pois eu quero é pra ontem mesmo. Sou ególatra? Sou. Acho que sou super heroína? Sem dúvidas. Aliás eu sou muito um monte de coisas, mas oi? Tá passando da hora de admitir essas coisas, assim como sou um monte de coisas legais.
Quero acima de tudo aceitar as coisas do jeito que são, se são feias ou bonitas, parar de maquiar a realidade até que caia a mentira em cima da minha cabeça mostrando os dentes e que sempre esteve ali e apenas a minha cegueira não me permitia vê-la.

Quero me cuidar em todos os sentir, da minha cabeça, do meu corpo e meu espírito.

Quero assumir de vez que quero ser macumbeira (dê o nome que preferir) e não qualquer outra religião, que essa é a que mais me atrai, bater tambor, assumir os rituais e parar de fugir que sei que uma hora mais cedo ou mais tarde é onde vou parar mesmo.

Parar de fingir que estou me importando pra um monte de coisas que não me importo mesmo, nem em último grau, assim as pessoas param de me cobrar certas posturas que não terei em mil anos. Não vou conseguir fingir que sou preconceituosa, que estou muito aí para a moral da sociedade, aliás eu nem sei o que é essa tal de sociedade.

Voltar a fazer terapia.

Que inventem um cigarro que não dê câncer, bebidas que não dão cirrose, e remédios que não dêem dor na consciência.

Que eu consiga dormir bem. Simples. 

Meus desejos são esses, é isso tudo o que desejo pra mim, liberdade de ser exatamente como sou, liberdade de mudar, liberdade para me libertar do que me impuseram, do que me impus e do que ainda me imporão, liberdade de ter os cabelos no vento e NADA na cabeça.

E vou lutar para ter tudo isso como um homem com a cabeça pegando fogo corre procurando água. 




6 comentários:

Ge Bolognani disse...

A vida é engraçada, no momento tudo que preciso é deixar os meus belos e civilizados argumentos de lado e aprender a dizer: "PUTAQUEPARIU CARALHO SUA OPINIÃO É UM CU FUDIDO."

Adorei o post. Muita garra, sua cara. Ia desejar feliz 2013, mas mudei de ideia:
Menina, arrebenta que esse ano é seu!

Cristal - a pedra que fala. disse...

Ge:Olha esse argumento é ótimo, difícil é a pessoa entendê-lo porque as pessoas acham que você está brincando, e isso é uma merda, as pessoas tambem não levavam a Dercy a sério kkkk.

Obrigada!!!!!!

Ou arrebento com esse ano ou ele arrebenta comigo. rsrsrs.

Bjundas

Afrodite disse...

Cristal,
Desejo que vc realize todos esses teus desejos.
para que eles se tornem reais dependem apenas de um ser:VOCÊ!
A pior parte já passou, vc descobriu que na VIDA apenas a NOSSA OPINIÃO é que VALE.
E FODA-SE o resto...hahahahaha!
Beijo!

Natália disse...

Nossa, graças a Deus vc voltou, abrir o google reader e n ter um texto seu tava uma merda!

Lex Dehon disse...

Que bom que você voltou!! :D

Abraço, Leticia

Salvatore Gibson disse...

Quero ser livre pra pensar e falar o que quiser. Foda-se o mundo. Vou morrer. Vou morrer mais rápido que imagino, como você, porque a vida passa rápido e a gente sempre pensando “o que vão pensar de mim”.

Falou tudo nessa frase, parabéns. O difícil é conseguir.