sexta-feira, março 22

Uma coisa.

Eu amo a vida. É sério.

Chega a ser absurdo estar mal e mesmo assim apreciar a chuva.

Acho obsceno desperdiçar minha vida chorando, ou alguns minutos, algumas horas, de verdade. Eu tenho TANTA coisa que deveria agradecer que é ingrato da minha parte cobrar juros do céu pela minha infelicidade.

Eu não tenho a vida mais certa do mundo e Deus sabe o esforço diário de não mandar o mundo tomar no cu e voltar para a cama.

Estou escrevendo com um braço meio levantado pois estou com um furúnculo no suvaco, no jogo do contente eu agradeço ter um braço.

Tem dias que dá realmente certo, quando penso "porra pelo menos não estou desempregada" "tem muita comida nessa casa graças a Deus", mas dá uma certa raiva fumar Hollywood. Aí que mora minha grande insatisfação, estou fumando Hollywood porque não tinha Carlton na padaria, mas eu consigo me irritar com essas coisas ao invés de dizer "puxa ainda tenho meio pulmão para fumá-lo" enfim, era para ser um texto super positivo sobre a positividade da vida, mas saiu essa merda. Foda-se.


Um comentário:

Ana P. disse...

eu prefiro me dar ao luxo de ser triste de vez em quando. tá, a vida é linda, o sol brilha, os pássaros cantam e eu tenho emprego, amigos, casa própria e uma família que com todos os seus defeitos, é uma família.

mas me dou o direito de sentir essa dor de vez em quando porque... porque sim. já me culpo por tanta coisa nessa vida, me culpar por estar mal só vai contribuir pra piorar.

então é essa minha dica pra hoje: não é porque a vida te diz que vc tem que estar bem que você TEM QUE ESTAR BEM. uma hora tudo orna!