domingo, junho 23

Parei na metade.

As coisas estão piores do que quando comecei (antes de melhorar as coisas pioram substancialmente), estou cansada no começo da tarde e ainda tem tanta coisa para fazer! Me deu vontade de jogar as coisas que estão em cima da cama no chão e me deitar no eterno "depois ajeito isso", e como sempre como diria Alba eu com a síndrome "alguém vai me salvar" que ela chama de síndrome "uma linda mulher" ficava pensando que se houvesse ajuda seria mais fácil porque estou entrando naquela incapacidade de jogar as coisas fora e precisava de alguém imparcial para me ajudar a me livrar dessas coisas! E como vou ser imparcial com as minhas coisas? Eu tenho um significado diferente para elas, são poucas coisas (nem tão poucas) que posso chamar de minhas! Mesmo as inúteis! (Quem é você para dizer que minhas coisas são inúteis ein!) E a cozinha cheia de caco de vidro e tudo feio, sujo ou bagunçado!
E o desespero que isso vai me dando? E o sentimento de incapacidade? E a vontade de fugir da própria casa?
Nem sabia que tinha tanto papel, tanta roupa sem uso, tanta... tralha! E é claro que nem vou conseguir me livrar de tudo (não ia sobrar nada, certo?) mas não era para estar me sentindo leve e zen? Não é isso que dizem os livros e artigos (rs)? Será que vou sentir isso amanhã? E se eu precisar daqueles remédios... e aquele casaco que não uso a SEIS ANOS se ele entrar na moda no inverno que vem? E se essas coisas me fizerem falta? kkkkkkkkkk

Tá bom, chega de neurose! Vamos voltar ao trabalho que o prêmio a noite vai ser: um apartamento limpo.


Nenhum comentário: