quarta-feira, julho 17

A vida.

Todo mundo, todo filósofo, todo poeta, todo filhadaputa diz que a via é muito simples e blawhyskas porém tenho uma declaração para fazer, a porra da vida é um troço complicado pra caralho.
A gente nunca consegue conciliar bosta nenhuma, vive normalmente em uma corda bamba equilibrando pratos e escolhendo qual quebrará dessa vez, sempre tem alguma coisa a sacrificar, alguém que vai ficar na mão, alguém vai reclamar e alguém vai sempre entender com aquele olhar distante de quem compreende das coisas.

Você vai abrir a porra da sua vida para alguém e a pessoa que ouve se sentirá no direito de dar todo tipo de opinião (inclusive as idiotas que não levam em consideração o todo da parada).
Você vai se fuder, se esfalfar de trabalhar e vai ter um monte de coisa que não serve de bosta nenhuma quando tiver uma crise existencial e Deus queira que você tenha muitas, porque se você não tiver nenhuma é muito pior, vai por mim.
Você vai levantar um dia, vai tentar revolucionar tudo e vai voltar pra casa mais fudida que quando estava quieta, mas vai ficar com uma ligeira impressão que fez algo, você não fez bosta nenhuma na prática.

Você vai ficar velha, na hora ou antes da hora e vai perceber certamente que fez tudo errado, que seus filhos são um saco, seu marido é um porre e seu emprego é o mais errado do mundo, ou que nãos ter filhos é um saco, não ter um cachorro para chutar, alguém para colocar a culpa, mas vai estufar o peito e dizer que faria tudo novamente, até porque não pode mudar a porra do passado, então você vai fingir que tem o maior orgulho de si mesmo.

Você vai querer voltar milhões de vezes para a saia da sua mãe, para a cama, para sua casa, para qualquer casa, você vai sempre querer voltar para alguma coisa que você achava muito melhor, mas não era, é só porque já passou, então até a merda fica mais cheirosa com o passar dos anos.

Você vai se entregar, se levantar, vai cair muito mais que levantar e vai mentir muito para si mesmo, vai descobrir que poucas pessoas saem do óbvio, que tudo o que você faz alguém já fez e fez melhor.
Que as histórias de sucesso são todas exceções a parte, que você é uma pessoa comum, destinada as coisas comuns e que nunca será aquela dona de casa que revolucionou o mundo vendendo sua receita de empadinha para alguma multinacional.

Não, o mundo não é para você. Você pega uma nesga, uma mísera parte, tão pequena, infinitesimal, você não consegue nem ser um número, você compra um iphone, copia coisas idiotas de outros idiotas e coloca no facebook, compra um perfume importado, uma blusinha da moda, mas você não faz parte do todo. Não existe o todo. Você já está seguindo alguém. Não há nada novo. Você quer ser diferente, se destacar na multidão, corta o cabelo, muda a maquiagem, diz coisas inteligentes e cita pessoas mais inteligentes que você.

Você não pode nem se considerar um fracasso, porque até para fracassar tem que dar um passo muito grande, cair de uma altura enorme para se considerar fracassado e você nunca esteve nessa altura enorme não é mesmo?

Você vai se juntar a pessoas como você, que pensem parecido, ou que tentem, ou que não pensem, vai querer ficar na mesma faixa, falando com pessoas que nem sabem que tem opinião, mas não se importe, sua opinião não é merda nenhuma, mas você vai achar que tem, você vai ter torcer por um time, vai ter uma religião... ou não, vai ter muitas convicções, vai brigar com muitas pessoas para mantê-las, vai ter seus princípios que não  servem para nada.

Isso é a vida, o resto é resto.





Não isso não é um relato pessimista, isso é um relato inspirado. Boa noite.

3 comentários:

Lex Dehon disse...

Adorei Cristal! Beijão!

Nádia Galdino disse...

"A gente nunca consegue conciliar bosta nenhuma, vive normalmente em uma corda bamba equilibrando pratos e escolhendo qual quebrará dessa vez, sempre tem alguma coisa a sacrificar[...]": FATO

"[...]e vai ter um monte de coisa que não serve de bosta nenhuma quando tiver uma crise existencial e Deus queira que você tenha muitas, porque se você não tiver nenhuma é muito pior, vai por mim.": FATO[2]

Alexandre disse...

Excelente! Parabéns pelo texto.