quinta-feira, agosto 25

Carinho

Tenho uma super carência de carinho, carinho,  de toque,  de cafuné,  de carícia mesmo, colo.

Mamis nunca foi carinhosa,  tem toda uma trava com isso,  é carinhosa do jeito dela,  faz tudo que remete a carinho,  mas sem toque, também cresci acostumada com isso. Marcos faz carinho mas tem dias que é carinho desatento,  como acariciar um cachorro. Mas eu também quase não relaxo.  Acho que estou incomodando.

Nessa fase tudo o que quero é um colo.  Um colo que não fale na minha orelha,  um colo sem conselho, e eu...  Acheiiiii!!!!!

Meu sofá.  Gente da pra sentir amor emanando dele. É a segunda noite que entro um pouco debaixo das almofadas fofas dele e o edredon me cobre dizendo,  heeey vai ficar tudo bem,  é OK se sentir assim quando as coisas demandam,  estamos aqui, aí relaxo e o sono vem.  Um sono delicioso,  acalentado, macio.

Se eu tiver que dormir no sofá até a carência diminuir...  Cá estaremos eu e ele. Sempre me sinto bem quando soluciono algo, então acordei mais animada, como se durante a noite alguém realmente me afofasse para o dia duro que viria.

Nenhum comentário: