terça-feira, março 12

Metas da semana

Passei hidratante. Levei meu trabalho a sério. Lavei meu cabelo. Não caminhei. Não tomei tanto café - tá diminuí duas xícaras. Não tomei remédio para dormir. Minha casa está tomada pelos ratos - estou cogitando cobrar parte do aluguel (isso é um exagero não tem ratos aqui). (o blog está sem formatação por isso está saindo tudo sem parágrafos, não faço ideia de como arrumar isso.) Não fiz muita coisa. Mas estou melhor. Mas é uma melhoria vaga, vindo do desespero de tentar qualquer coisa. Não tenho dinheiro para comprar comida (mas tem muita comida aqui, sem problemas, tem dinheiro para comprar cigarro e sempre pode-se fazer um empréstimo no cheque no trabalho). Mas comprei uma calça no crédito. As minhas não cabem mesmo. Foda-se. Meu chefe me esculhambou ontem, esculhambar foi pouco, só faltou ele perguntar se eu sabia ler, coisa que responderia com alguma cara incompreensível, caguei, meu negócio é vender, se fosse agradar tava sei lá trabalhando como relações públicas e diplomáticas. Minha antiga CHEFE, CHEFE mesmo, (não minha antiga supervisora) digo a chefe da minha chefe me mandou um e-mail de follow up sobre um fornecimento (ah caguem para os detalhes que não vou falar disso) o bacana está só nessa frase aqui: Eu sempre lembro de você,estou sempre te colocando como exemplo ( superação,motivação e atitude)em minhas reuniões. Isso foi o que minha antiga chefe falou de moá, escreveu aliás. Deixou registrado para toda a posteridade. Vontade de imprimir e esfregar na cara da sociedade, mas não preciso disso, só preciso trabalhar mais e melhor e mostrar o que sei fazer. Opa eu sei tá desculpa. Se a venda tá saindo e o trabalho tá rolando o resto é atropelar mesmo. Ordens são feitas para não serem cumpridas, ou algo assim. Meu chefe deveria pegar referências com meus antigos (as) chefes, se me chutar e me fizer quase morrer de tanta pressão é a coisa começa a ficar interessante se me xingar e chamar de incompetente é que a adrenalina começa a fluir, se me fuder mesmo é que eu começo a motivar, vai entender. Ser primeiro lugar me importa. E muito. Se para isso fizermos algumas inimizades no caminho, faz parte. Não sou conhecida pela minha boa personalidade e sim pela minha competência. Eu sempre ofereço meu melhor, sou uma ovelhinha de Jesus, um ótimo ser humano, mas se não é isso que querem, estamos aqui para mostrar o pior. O pior é o que há. Pollyana e pensamento positivo é para os fracos, para os que sobrevivem só resta a realidade - filosofei. Ou roubei de alguém.

3 comentários:

Antônio LaCarne disse...

e assim, out of control e, consciente de nós mesmos, vamos vivendo e vivendo e superando as barras e superbarras do caos em que nos encontramos.

Aline disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aline disse...

Cristal, lembra de mim? Gaúcha, frio, conversas bêbadas no msn contigo e com a Fernanda a sei lá, 3 ou 4 anos atrás? Meu post favorito ainda é o Conversa com Deus e nunca mais vou esquecer que pra ti São Pedro é tipo um segurança de boate gay.
Continuo vindo aqui e tô preocupada bagarai contigo. Caso queiras me manda um e-mail. Enfrentei uma barra bem parecida com a tua a um tempinhoi atrás. Se precisar desabafar por e-mail, skype ou sinais de fumaça... Prende o grito. Beijão