quarta-feira, abril 10

Escrita desescrita

Gosto de vir pra cá e escrever só para não ir para minha convidativa cama. Acho que fazendo algo, mesmo que escrevendo porcaria  já é o suficiente para não me levar pela auto comiseração. Ação, mesmo que não resulte em algo que precise, já é bastante para não deixar a cabeça ser povoada de pensamentos estranhos que não me pertencem.

É engraçado que quando começamos a fazer alguma coisa, qualquer coisa, sempre dá uma sensação de realização, pode ser de lavar a louça a terminar um texto.

Eu queria sair da inércia da mediocridade, minha vida ainda não mudou e nem deu tempo, mas fazer algo no trabalho e aqui em casa já me dá fôlego para fazer algo a mais ali na frente.


2 comentários:

Alexandre disse...

O meu é válvula de escape mesmo, para me livrar das maluquices que povoam minha mente sem me comprometer.

Nay disse...

Vc não sabe a felicidade que sinto quando termino uma faxina. Justamente essa sensação: de dever cumprido. :)